Foram cinco dias que marcaram a vida da Igreja. Em pleno período de carnaval, o povo de Deus decidiu se afastar dos perigos que se apresentam no mundo físico e espiritual nesta época do ano e viver intensamente momentos felizes na Casa de Deus. E quem escolheu a “boa parte” desfrutou a presença do Pai, recebeu o Seu abraço de amor, ouviu as palavras dEle e teve o privilégio de adorá-lO na condição de filho muito amado.

Felizes na Casa do Pai

Na abertura do Congresso de Consolidação, a Igreja celebrou o Rei dos reis e apresentou as bandeiras das Nações a Ele, cantando e adorando Aquele vive e reina eternamente.

Um clamor foi levantado aos céus pelo Brasil, pelo Amazonas e pelas famílias. No auditório, um grupo de venezuelanos foi saudado e aplaudido, e a Venezuela, país que enfrenta tantos desafios causados por uma crise política e econômica sem precedentes, recebeu a bênção do Senhor.

Novos Começos

O Apóstolo Renê Terra Nova cultuou a Deus no meio dos discípulos e também falou à Igreja todas as noites. Uma de suas ministrações foi baseada em Romanos 8:15: “Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai.” A reflexão trazida foi a seguinte: O que nos faz entender que não somos apenas filhos do “homem”, mas filhos de Deus? Para isso é preciso pensar sobre qual é a natureza que impera em nós, pois, todos aqueles que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos dEle. Nesse sentido, líderes e discípulos foram advertidos: Todos devem saber quem os guia e quais as mentes que os mentoriam.

O Apóstolo também declarou que Deus quer consolidar o nosso caráter para que o Seu Espírito flua em nós de uma maneira ampla e chamou atenção para o fato de que todos os que são filhos do Pai têm responsabilidades com a Sua casa e devem ter uma identidade consolidada nos princípios do Eterno.

Outro ensinamento foi o de que Deus está nos preparando para viver com Ele na eternidade, porque todo filho tem o direito de estar na Casa do Pai e o que nos faz ter o direito de viver no Céu é obedecer os deveres na Terra, com Deus, com a Igreja e com os líderes. E a cartilha dos deveres do crente é a Bíblia.

Fruto Fiel

Como já se tornou habitual no Congresso de Consolidação, todas as noites houve a apresentação do Fruto Fiel. As equipes foram organizadas e cada uma se empenhou em reunir e mostrar as vidas que foram ganhas para Jesus e são resultado de um trabalho feito com responsabilidade, dedicação e amor ao Evangelho. E, mais uma vez, a Igreja ficou colorida, agitada e cheia de entusiasmo. Uma festa interna tão conhecida e amada por esta Igreja, tempo de comunhão e gratidão ao Senhor.

Homenagem

Durante a apresentação do Fruto Fiel no Sábado, o colorido das roupas, faixas e bandeiras, abriu espaço para lembrar a memória de Marcos Carvalho, discípulo que partiu para os braços do Pai, após cumprir sua missão aqui na Terra. O MIR e a geração dos Pastores Mikeson e Heloísa Cordeiro, prestaram uma homenagem a esse filho que caminhou conosco por mais de duas décadas, sempre disposto a servir e amando o Rei e o Reino. A Esposa, filhos, pais, alguns parentes e discípulos, receberam o conforto da Igreja através da oração do Apóstolo Renê.

Nossa condição como filhos de Deus

O Congresso de Consolidação levou os discípulos ao entendimento das conquistas adquiridas enquanto filhos de Deus e de como é agradável desfrutar a alegria de ser partícipe no Seu Reino. O Apóstolo Renê listou três dessas principais conquistas:

1. Ser nascido de novo. Citando I João 5:1-12, disse: “Ser nascido de novo é motivo de celebração para os que são salvos e vão morar na Eternidade com Cristo. Você poderia ter uma vida comum, mas faz parte da seleção de Deus para este tempo”.

2. Manter a nova natureza. O Apóstolo ensinou que “aquele que mantém a nova natureza mantém a vida de Deus”. E leu o texto de
II Timóteo 1:12, que diz: “Por cuja causa padeço também isto, mas não me envergonho; porque eu sei em quem tenho crido, e estou certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até àquele dia.” E explicou: “Precisamos ser gratos pela vida de Deus em nós, pela nova natureza que Ele nos deu. Somo a casa que Ele escolheu para viver. Nossa vida é o transporte dEle na Terra”. Que grande privilégio o nosso!

3. Reproduzir a vida de Deus. “Todos os que passarem pela nossa vida devem receber um impacto de mudança para que nasçam de novo em Cristo Jesus, para sermos, de direito e de fato, pais e mães de multidões. Deus nos escolheu também para sermos reprodutores da vida dEle na Terra, alcançarmos os perdidos, levarmos o amor que pulsa em nós e destilarmos a sabedoria que Ele nos deu, representada em ganharmos vidas, como Provérbios 11:30 declara. “O fruto do justo é árvore de vida, e o que ganha almas é sábio.” E finalizou lendo I João 1:3-10 e advertindo a Igreja que como filhos de Deus, devemos andar em conformidade com a missão que recebemos, com o caráter de quem tem a natureza do Pai e, assim, praticar a justiça e ser justos; não perfeitos, mas em busca da perfeição.

Quem é filho e quem é o Pai

Com alegria e muita celebração ao Rei Jesus, os discípulos do MIR se alegraram pelo privilégio de serem filhos e saberem quem é o Pai, o Senhor Deus Todo-Poderoso que ama e cuida dos Seus.

O Apóstolo Renê Terra nova ensinou sobre o Amor à Casa do Pai, usando como exemplo Davi, que abriu os seus tesouros pessoais para construir uma Casa para Deus. Ele foi enfático ao afirmar: “Como filhos de Deus, temos que amar a Casa do Senhor. Quando amamos a Casa do Pai, as sementes que plantamos na Sua Casa vêm como retorno. Temos que nos mover em amor pela Casa do nosso Pai, onde lá há fartura de alegria. E o nosso amor deve ser puro, regenerado. Quanto mais amamos a Casa do Senhor, mais fazemos por ela e mais Ele faz por nós. Não como uma troca, mas porque essa é a natureza do Pai. Então, seja generoso na hora de investir em amor na Casa de Deus”.

Com duas perguntas, os discípulos foram levados a refletirem: “1. Qual é o seu zelo pela Casa de Deus? 2. Como você tem demonstrado seu amor pela Casa do Pai?”. E continuou: “Se olharmos para Yeshua, nosso Modelo, podemos lembrar o que está registrado em João 2:17. “E os seus discípulos lembraram-se do que está escrito: O zelo da tua casa me devorará.”

Na ministração, dois pontos foram abordados: Possuir a mente de Cristo. Quando na explicação, orientou: “Prossiga na missão que Deus deu a você. Ore em línguas, sabendo que você tem a mente de Cristo e que, à medida que você ora, edifica o seu espírito e cresce em intimidade com Deus. A mente de Cristo que há em você é a convicção de que você tem uma mente privilegiada para raciocinar por princípios”. Ele usou como texto principal I Coríntios 2:14-16, que diz que nós temos a mente de Cristo. “Ter a mente de Cristo é privilégio dos filhos, daqueles que amam a Casa do Pai”.

Somos gerados em uma nova natureza. “Você é filho Deus! E como filho de Deus é possuidor de uma natureza regenerada e tem a cultura do Reino de Deus na sua vida, no seu caráter e em tudo o que você fizer. E com a vida de Deus na sua mente, alcança os lugares altos que Ele tem para você. E se algumas pessoas não entenderem a sua mente plugada na mente de Cristo, não há problema, você será vaiado pelo mundo e aplaudido pelo Céu”, declarou o Apóstolo.

Batizados na unção de Filhos

No encerramento do Congresso de Consolidação, a Igreja declarou: “Ao Deus que é Santo, nos prostramos e adoramos. Cale-se diante DEle a Terra! Bendito és de eternidade a eternidade e de geração em geração”. A Igreja também abençoou o Brasil, Israel, as nações e a Visão Celular M12 e apresentou ao Senhor os seus frutos de fidelidade.

O Apóstolo Renê Terra Nova disse que Deus não atende oração sem princípio, sem a cultura do Reino e declarou que o Senhor vai dar sabedoria para cada um poder acessar o coração do Pai, se movendo no código de honra. Também lembrou das imagens que geraram polêmica nas redes sociais e que mostravam Jesus sendo “ derrotado” pelo diabo. Disse que a Igreja se sentiu afrontada e que o carnaval espalha a cultura contra os princípios do Eterno.

Em outro ponto da ministração, lembrou que a Bíblia nos ensina que “felizes, alegres e bem-aventurados, são os pacificadores porque receberão uma identidade, serão chamados filhos de Deus, mas quem semeia contenda será amaldiçoado”. Também disse que ser filho é uma dádiva, um presente, mas também carrega a responsabilidade de reproduzir filhos com um caráter irrepreensível, pois somos o bom e o mau exemplo dentro da nossa casa. Da mesma forma, os discípulos reproduzem o caráter dos discipuladores. Outro alerta foi sobre a Igreja, que precisa retirar o espírito de impiedade, de condenação e colocar a paixão de Cristo no coração.

Outros conselhos ainda foram trazidos: O cuidado na criação dos filhos, a presença que não pode ser substituída por presentes e o tempo que deve ser dedicado para o que é realmente prioritário.

Exemplo de fé e transformação

O Apóstolo Renê contou o próprio exemplo de superação de um estado de depressão que viveu no passado, para encorajar todos aqueles que se encontram desistidos. Disse que é filho de Deus e, como tal, repete os padrões do Pai, como todos nós também devemos fazer. Cheio de vida e entusiasmo, ele espalhou fé e ânimo sobre a Igreja. E a alegria que só tem quem sabe que é filho do Deus Altíssimo tomou conta de todos. Um momento simples, porém intenso e verdadeiro, que marcou de maneira especial o encerramento do Congresso de Consolidação de 2019.

Visualizações: 246

Plano de Leitura Bíblica

20 Mai
Josué 5 e 6
Isaías 10
II Tessalonicenses 1
II Tessalonicenses 2
21 Mai
Josué 7
Isaías 11
II Tessalonicenses 3
22 Mai
Josué 8
Isaías 12
I Timóteo 1 a 3
23 Mai
Josué 9
Isaías 13
I Timóteo 4 e 5
24 Mai
Josué 10
Isaías 14
I Timóteo 6
25 Mai
Josué 11
Isaías 15
II Timóteo 1
26 Mai
Josué 12
Isaías 16
II Timóteo 2