“Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.” (Efésios 6:12)

Deus quer adestrar você para um tempo de valentia contra o diabo, o inferno e as hostes malignas. Afinal, só vence quem entra em uma guerra. Como um valente do Senhor, como alguém que nasceu de novo, você não foi gerado para perder a guerra, contudo, deve entender que você só vence se estiver em aliança com Deus.

Estar em aliança com Deus é a garantia que temos de que vamos vencer todas as guerras, sejam elas de ordem emocional, espiritual ou física. Sabemos que hoje o que mais aflige o coração dos filhos de Deus são as guerras emocionais, principalmente quando elas acontecem na família. Neste estudo, você vai aprender como vencer algumas guerras, como:

Guerras familiares

Como um valente de Deus, você precisa entrar nas guerras familiares para vencer. Se você foi alcançado pelo Senhor, então você é o escolhido para ser o consolidador da sua casa. O Senhor quer usar a sua vida para consolidar a sua família. E, para isso, você precisa arrancar a mente velha, ser um valente, não na casa do vizinho, não em outras casas, mas na sua própria casa. E essa valentia não está atrelada ao quanto você propaga que é valente, mas ao quanto você tem orado e agido com sabedoria para ver a sua casa firmada na Rocha, Jesus, e andando pelos princípios bíblicos para conquistar territórios que jamais foram conquistados.

Jesus nos ensinou que uma casa dividida contra si mesma não subsiste. “Todo o reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda a cidade, ou casa, dividida contra si mesma não subsistirá.” (Mateus 12:25). Por isso, é de fundamental importância sabermos o que pode querer dividir a nossa e aprender que os pensamentos de Deus precisam estar estabelecidos em nosso lar, a começar por nós.

Para vencer as guerras familiares é preciso saber lidar com:

1. Conflitos de gerações

O conflito de gerações tem sido um calcanhar de Aquiles nas famílias. Filhos se levantam contra pais, com pensamentos contrários e divergentes, nem sempre por rebeldia, mas baseados em conflitos de gerações. Claro que quando esses conflitos não são resolvidos, pode sim surgir rebeldia no coração dos filhos e os pais não saberem como lidar com tantos modismos que permeiam a sociedade.

O resultado tem sido uma geração deformada na mente e pervertida nos seus valores. E alguns pais dizem: “Mas isso não acontecia antigamente”, e é verdade, porque havia conselho nos lares e os tempos eram outros. Nos dias atuais, para vencer o conflito de gerações, é preciso caminhar por princípios, buscar ser modelo, e ter a mente renovada com os pensamentos de Deus que consolidam a família e ajustam a geração, como está escrito em Romanos 12:1,2.

Não adianta vencer tantas guerras externas e em casa não ter paz. Para vencer as guerras familiares provenientes de conflitos de gerações é preciso voltar para os princípios bíblicos e ser valente.

Conflitos de gerações têm sido portas abertas para pensamentos divididos que levam famílias à porfia, idolatria e rebeldia. Não permita que Satanás venha minar as bases da sua casa. Faça guerra, pois a sua casa nasceu para ser a sede do avivamento.

Guerras da carne

Quantos cristãos que caminham cheios de desejos e pensamentos carnais. Em tudo o que fazem há um “quê” de carnalidade. Para vencer as guerras que a vida apresenta é importante corrigir as carnalidades na sua vida, no seu trabalho, na sua casa e em todos os lugares. Como as pessoas que você ama vão se converter se olharem para você e continuarem vendo a mesma pessoa de antes, com as mesmas atitudes carnais?

Vencer a carne é disseminar o sarkos, os pensamentos e sentimentos que são carnais, que não estão em linha com a Palavra de Deus. Pensamentos carnais referem-se a assuntos que maculam o Reino de Deus. São palavras imorais, pensamentos impuros, como disse o profeta Isaías, quando afirmou que tinha os lábios impuros. Por que? Porque ele não falava o que era para falar, mas compartilhava de assuntos que impediam a saída de Israel do cativeiro (Leia Isaías 6).

A mente dos filhos de Deus deve se encher das coisas do Alto e não estar permeada de pensamentos carnais e sarcásticos, de menosprezo ao outro, de gozações. Precisamos vigiar, pois muitas vezes isso está presente nas conversas da nossa casa e disseminam malignidade, contaminando os céus do nosso lar. Quando você vir um filho de pastor ou líder de célula desviado, não é pelo que viu na igreja, mas pelo que ouviu e viu em casa. O que ele ouve e vê em casa não lhe dá prazer de ir para a igreja. O que você está fazendo e falando, seus filhos estão vendo e ouvindo, e na hora que tiverem autonomia, tomarão uma decisão. Eles pensam: meus pais vão para a igreja e não mudaram, acho que também não mudo.

Seus pensamentos não podem estar afinados com as trevas, mas com os pensamentos de Deus. O Senhor precisa de um povo que tenha os pensamentos afinados com os pensamentos dEle. Você será conservado em paz se o seu pensamento estiver firme em Deus (Isaías 26:3).


Continua...

Visualizações: 1268

Plano de Leitura Bíblica

14 Out
2 Crônicas 3 e 4
Ezequiel 40
João 6
15 Out
2 Crônicas 5 e 6
Ezequiel 41
João 7
16 Out
2 Crônicas 7
Ezequiel 42
João 8
17 Out
2 Crônicas 8
Ezequiel 43
João 9 e 10
18 Out
2 Crônicas 9
Ezequiel 44
João 11
19 Out
2 Crônicas 10 e 11
Ezequiel 45
João 12
20 Out
2 Crônicas 12 e 13
Ezequiel 46
João 13 e 14