“E com muitas outras palavras isto testificava, e os exortava, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa.” (Atos 2:40)

Onde encontraremos fidelidade? Onde nós beberemos de uma fonte limpa? Que tipo de instrução temos deixado entrar na nossa mente? Como seremos salvos desta geração perversa? Precisamos refletir! A geração perversa está nos nossos dias, quando vemos tanta gente fazendo o que quer e o que gosta, sem nenhuma reverência aos princípios e despidos de temor à autoridade. Vemos que a anarquia se instalou no nosso território, e a falta de respeito é a aliada do comportamento de muitos.

Vencendo a carne para ser fiéis

Estamos na era de Laodiceia, no mercado aberto, onde o Sarkós, a obra da carne, está fazendo parte dos negócios destes dias. Literalmente: Pais contra filhos, filhos contra pais, aí a corrente de rebelião se estende até a liderança, envolvendo discipuladores e discípulos que têm o discurso: “Você não manda na minha vida. Você não pode me obrigar a nada. Eu vou viver como quero. Eu faço o que eu gosto. Quem é você para mandar em mim? Você não é meu pai! Você não é meu líder! Você não é meu Pastor!” E é assim que muitos seguem...

As frases de efeito ocuparam o lugar da Bíblia. Para alguns, os versículos ficaram tolos e o humanismo ficou sábio. Ninguém, em nenhuma geração, por mais informatizado que seja, superará a essência e o valor da Palavra Viva. “Uma voz diz: Clama; e alguém disse: Que hei de clamar? Toda a carne é erva e toda a sua beleza como a flor do campo. Seca-se a erva, e cai a flor, soprando nela o Espírito do Senhor. Na verdade, o povo é erva. Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente. Tu, ó Sião, que anuncias boas novas, sobe a um monte alto. Tu, ó Jerusalém, que anuncias boas novas, levanta a tua voz fortemente; levanta-a, não temas, e dize às cidades de Judá: Eis aqui está o vosso Deus. Eis que o Senhor Deus virá com poder e seu braço dominará por ele; eis que o seu galardão está com ele, e o seu salário diante da sua face. Como pastor apascentará o seu rebanho; entre os seus braços recolherá os cordeirinhos, e os levará no seu regaço; as que amamentam guiará suavemente.” (Isaías 40:6-11). E assim seguem as palavras de Yeshua: “Aprendei, pois, esta parábola da figueira: Quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão. Igualmente, quando virdes todas estas coisas, sabei que ele está próximo, às portas. Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam. O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar.” (Mateus 24:32-35)

Fidelidade deve ser aprendida em casa

A fidelidade se tornou algo raro no nosso cotidiano. A fidelidade não é uma pílula que se encontra na farmácia nem uma química feita em laboratório, é um princípio inserido no caráter, que faz parte do DNA da família. É em casa que se absorve honradez. As coisas que são da nossa responsabilidade de liderança não podem ser tragadas pelas mentiras do diabo, quando um engodo possuiu a mente de alguns e perverteu o coração de outros tantos.

Na escola da vida aprendemos muitas coisas, mas na história da Bíblia entendemos como o comportamento humano deve ser analisado. “Examinai tudo. Retende o bem. Abstende-vos de toda a aparência do mal.” (I Tessalonicenses 5:21,22). Fugir da aparência do mal é uma ordem imperativa que só funciona na mente do fiel, que é alguém gerado de novo e que possui a natureza de Cristo Jesus. Na verdade, a rota do comum é correr para o mal, como para a Internet – que é uma ferramenta poderosa para criar uma mente brilhante, assim como para perverter mentes que eram de Deus.

A desconstrução de pensamento está gerando de volta a velha natureza, fazendo o processo inverso. Os discípulos estão ficando estranhos e sendo teleguiados por mentes plurais; a distorção de valores está em alta. Cada um segue seu caminho, à sua maneira, e estão fazendo o que querem mesmo sem a assinatura de Deus. Parece que nos esquecemos da Palavra do Eterno que diz: “E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados, em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência; entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também.” (Efésios 2:1-3)

Nossa missão de ser fiel dobrou em responsabilidade. Até mesmo em casa, vemos que alguns casamentos perderam esse conteúdo, se enfraqueceram no poder da aliança e outras culturas entraram e contaminaram a atmosfera da saúde emocional e afetiva, e adoeceram a vida espiritual. Pessoas elaborando em secreto cisões, quebra do pacto, vivendo em casa sem os deveres da aliança em ordem; casados vivendo como solteiros. Os filhos, genros e noras, de alguns, perderam a referência do Altar e da vida de Deus, e pelo mal testemunho quebram o princípio, sendo elucidada a vergonha na geografia da família. Dessa forma, fracos na fé, são estimulados a seguirem rotas de colisão com o Evangelho. Alguém dará conta disso. Em algumas residências a VERDADE DE DEUS não está mais em evidência, o secularismo e a pós-modernidade tomaram conta do coração do povo. Hoje, até para abordá-los, precisamos criar uma estratégia de sabedoria. Perdemos o coração deles e não encontramos a chave de acesso novamente.

Precisamos orar para Deus nos dar sabedoria. Quantos discípulos estão em rumos totalmente esquisitos, e os líderes, como que impotentes na autoridade. Não devemos ter medo! Não vamos ficar debaixo de chantagem nem em casa, nem no trabalho, nem no ministério. Deus nos dará vitórias! Aqueles que são nossos são nossos, e permanecem na aliança. Ainda que existam as dores, esses não negam a essência nem o DNA de fidelidade da cultura de casa, e se saírem do nosso meio, têm o conteúdo do anticristo encucado na mente com doutrinas contra o Reino. “Saíram de nós, mas não eram de nós; porque, se fossem de nós, ficariam conosco; mas isto é para que se manifestasse que não são todos de nós. E vós tendes a unção do Santo, e sabeis todas as coisas. Não vos escrevi porque não soubésseis a verdade, mas porque a sabeis, e porque nenhuma mentira é da verdade.” (I João 2:19-21)

Casais, voltem para a aliança, para o pacto do Altar. E que os filhos convertam os corações aos pais e os pais aos filhos, para que se cumpra a profecia de Malaquias 4:5,6. “Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor; e ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; para que eu não venha, e fira a terra com maldição.” Ser fiel ainda está em alta para que tem o caráter de Cristo. Devemos nos salvar da geração perversa. O ato do Calvário já está pronto. A decisão de ser fiel a Deus, à Sua Palavra e ao Seu Reino é nossa.

Visualizações: 1228

Plano de Leitura Bíblica

17 Jun
Juízes 19
Isaías 41
1 João 3 e 4
18 Jun
Juízes 20
Isaías 42
1 João 5
19 Jun
Juízes 21
Isaías 43
2 João 1
3 João 1
20 Jun
Rute 1 e 2
Isaías 44
Judas 1
21 Jun
Rute 3 e 4
Isaías 45
Apocalipse 1 e 2
22 Jun
1 Samuel 1
Isaías 46 e 47
Apocalipse 3 e 4
23 Jun
1 Samuel 2
Isaías 48
Apocalipse 5 e 6