“Sede meus imitadores, como também eu de Cristo.” (I Coríntios 11:1)

Formar discípulos em um século individualista, tão nevrálgico, chamado século nervoso, é um grande desafio. Como podemos consolidar os discípulos se cada um está preocupado com sua individualidade, ocupado com sua própria agenda?

Sabemos que muitos seres humanos se tornaram pregadores de sua própria liberdade e cúmplices de seus próprios conceitos. Ao mesmo tempo, com uma ausência terrível de cuidado. Porém, Deus quer que transformemos tudo isso pelo poder do Seu amor, que é verdadeiro e que nos consolida de forma verdadeira.

Na parte final do estudo, vamos aprender mais sobre como formar discípulos em um século individualista.

4. Ensinando a não transferir problemas
“Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda.” (João 15:16)

Você já observou que assim como Jesus nos escolheu, nós também escolhemos os discípulos para caminharem ao nosso lado? Claro que não somos como Jesus, somos falhos, e nem sempre nosso discipulado agrada. Mas, ainda assim, que façamos o nosso melhor sempre, principalmente ensinando os discípulos a não transferirem problemas.

Infelizmente, tem se tornado cada vez mais comum, transferir problemas no lugar de resolvê-los. Quando o discípulo não estiver bem espiritualmente, o primeiro passo a tomar, depois de buscar a Deus, é correr para o discipulador, que apesar de não ser perfeito, com certeza irá ajudá-lo.

Portanto, você, que é líder, ensine os discípulos a não trocarem de discipulador. Ame-os e, ainda que o discipulado seja duro, o discípulo deve se permitir ser discipulado. Afinal, o discipulador só quer o bem para o discípulo.

A troca de discipulador, na maioria das vezes, simplesmente é uma transferência de problema, mas nada é resolvido. E não são poucos os que ficam em um discipulado enquanto lhes é conveniente, e se são confrontados, saem e vão em busca de outro, e assim, sucessivamente.

5. Tornando-se exemplo
“Nenhuma disciplina parece ser motivo de alegria no momento, mas sim de tristeza. Mais tarde, porém, produz fruto de justiça e paz para aqueles que por ela foram exercitados.” (Hebreus 12:11)

Quando corrigimos alguém, somos mal interpretados porque as pessoas não gostam de ser corrigidas, ser confrontadas. Ser um bom discipulador é tarefa para quem é bom discípulo. Por isso é importante, no discipulado, você ser exemplo tanto como líder quanto como discípulo. Você só deve falar aquilo que faz parte da sua realidade de vida, de discipulado e de modelo. Jamais permita que seu discipulado vire uma chefia onde se dá ordens, mas nada se faz.

Jesus disse que o discipulado vem para fazer do discípulo um amigo do líder e aí nasce Provérbios 17:17 “Em todo tempo ama o amigo e na angústia nasce o irmão.” O verdadeiro discipulado é aquele que faz de um amigo um verdadeiro irmão na hora da angústia.

O dia da angústia vem e devemos permanecer firmes. Mas quem nos consolidará no dia da angústia? Só quem foi consolidado. O líder que consegue fazer de um discípulo um amigo ganhou um verdadeiro irmão para o dia da angústia. E é disso que todo ser humano precisa. Quando o dia da angústia vem, não precisamos de um discípulo que só aprendeu, mas que coloca em prática todos os ensinamentos. Isso é muito gratificante.

6. Não desistindo do discípulo
“Mas esforçai-vos, e não desfaleçam as vossas mãos; porque a vossa obra tem uma recompensa.” (II Crônicas 15:7)

Certo homem mandou o jardineiro de sua casa jogar um pedaço de árvore cara que julgava estar ocupando espaço inutilmente. Um artista plástico pegou aquele tronco e fez uma bela águia. No dia da exposição de obras do artista plástico, um juiz, ao ver a águia, ficou maravilhado com sua beleza e comprou-a pelo valor de 25 mil reais. Ele disse que a águia era perfeita para o jardim da sua casa e perguntou onde o artista havia conseguido uma madeira tão diferente.

O artista respondeu a ele que a madeira tão bela e diferente havia sido retirada do lixo. O juiz muito se admirou e disse que só um louco jogaria aquela madeira tão bela. E, para a sua surpresa, o artista respondeu: Eu peguei do lixo da sua casa.

O que podemos concluir é que muitas vezes, por não saber valorizar algo especial, podemos colocar no lixo o que pode se tornar parte do jardim. O discipulado é isto: Fazer daquilo que aparentemente é lixo uma preciosidade. Não devemos esquecer que o ‘lixo’ aduba grandes árvores para dar bons frutos, após estar processado. Então, processe o lixo para que se torne adorno. Muitas pessoas são apenas um tronco, mas poderão ser tornar uma águia, a partir do seu discipulado.

Visualizações: 258

Plano de Leitura Bíblica

17 Jun
Juízes 19
Isaías 41
1 João 3 e 4
18 Jun
Juízes 20
Isaías 42
1 João 5
19 Jun
Juízes 21
Isaías 43
2 João 1
3 João 1
20 Jun
Rute 1 e 2
Isaías 44
Judas 1
21 Jun
Rute 3 e 4
Isaías 45
Apocalipse 1 e 2
22 Jun
1 Samuel 1
Isaías 46 e 47
Apocalipse 3 e 4
23 Jun
1 Samuel 2
Isaías 48
Apocalipse 5 e 6