Eu quero avaliar o que você entendeu até agora sobre consolidação e fazer perguntas que o levarão a entrar em águas profundas.

De tudo o que você fala sobre Consolidação, o que você pratica? O que impede você de praticar o que diz? Como você faria para melhorar a consolidação que já conhece e sobre a qual pregou tão bonito?

O que você vai fazer daqui em diante para mudar a sua vida? Você provou para si mesmo que tem conhecimento, mas o que vai fazer com esse conhecimento?

Jesus tem 153 perguntas poderosas para mudar a vida dos discípulos no Novo Testamento. Jesus, na verdade, nunca dava respostas prontas. Ele respondia a uma pergunta com outra pergunta.

Quando Jesus fazia uma pergunta era baseado no comportamento, para extrair a resposta daquilo que a pessoa estava vivendo.

Pedro disse: “Nunca vou trair Jesus”. Pedro esqueceu que havia um galo. Nós temos que aprender a lidar com as situações do discipulado com seriedade. As pessoas chegam marcadas, com cheiro do mundo. Algumas vêm com um vale de Geena.

Você sabia que existem pessoas que estão andando com você há 20 anos e nunca contaram sobre a vida delas, nunca contaram sobre a história delas?!

O Culto ajuda as pessoas, mas não as muda. O que muda uma vida é discipulado, um a um, face a face. Já sabemos que as Células foram feitas para ganhar vidas, mas as coisas mudaram.

O processo de consolidação envolve: fazer uma ligação telefônica, ir à casa da pessoa para visitá-la, sentar com a pessoa e conhecer a vida dela.

Quem está disposto a fazer isso? Existe a consolidação para os novos convertidos, mas a consolidação da proposta da Visão é para os 12. Sentar um a um, tratá-los um a um, uma vez por semana. Se você não tem tempo, provoque um tempo mesmo que seja de 15 minutos. Converse com o seu discípulo.

Muitos estão impedindo a sua cura até sem saber. E algo que impede o discípulo de receber a cura se chama autossabotagem. Ele coloca no cérebro uma resposta programada e não quer que saibam nada sobre a vida dele. Dessa forma, a pessoa não é transformada.

Autossabotagem é algo ‘normal’ na vida do ser humano. Mas quando uma pessoa decide que uma situação não pode mais continuar na sua vida, ela muda.

É verdade que o discipulador não tem todas as ferramentas de ajuda, mas se ele conhece Bíblia e faz uma oração, com certeza já ajuda muito, já alivia a alma do discípulo, porque a presença fala mais do que palavras.

Hoje, no Japão, os melhores terapeutas são os robôs. A pessoa senta na frente de um robô e conta a vida dela inteira. O robô vai captando e, quando termina, a pessoa aperta um botão e o robô dá conselhos em cima daquilo que a pessoa falou. Depois ele puxa o chip, deleta tudo e a pessoa sai com a resposta. Isso acontece, porque ninguém confia mais em ninguém. O discipulador não pode virar um robô. Ele tem que ser um conselheiro. Olhar olho no olho e libertar a pessoa.

Um abraço, um simples abraço, pode ser uma ferramenta para ganharmos vidas para Jesus. Se depois do Culto fôssemos ao Shopping distribuir abraços, as pessoas ficariam muito felizes, porque muitas não são abraçadas nem beijadas, por isso estão solitárias.

Portanto, a consolidação tem dois níveis: um para o novo convertido e outro para a Equipe de 12. Sua Equipe de 12 começará a receber um tratamento diferenciado, só que agora você vai se dispor a puxar a linha do novelo. Mas saiba algo: Dará trabalho, porque as pessoas estão viciadas nas emoções fracassadas.

EMOÇÕES VICIAM

Existem seis tipos de emoções precípuas: alegria, raiva, tristeza, nojo, medo, espanto. Nós somos viciados em medo, mas vamos ser curados. Se fôssemos avaliar qual a emoção perfeita, diríamos que é o nojo. Por quê? Porque você precisa aprender a ter nojo do seu passado de pecado. Ezequiel 36:31 diz: “Então vos lembrareis dos vossos maus caminhos, e dos vossos feitos, que não foram bons; e tereis nojo em vós mesmos das vossas iniquidades e das vossas abominações.”

Isso é fantástico! A Neurociência ensina que se você gerar nojo (e para isso não precisa ser crente) do seu passado de pecado ou dos seus atos pecaminosos, você não volta a reincidir, porque sai da emoção viciada. Você troca a culpa pelo nojo, porque sentimento de culpa leva à reincidência e o nojo não deixa você voltar ao passado.

Muitas pessoas caminham com sentimento de culpa, fazendo a mesma coisa, quando tudo o que precisam aprender é lembrar do passado que lhes faz mal e sentir nojo. Ao sentir nojo, nunca mais voltam a cometer as mesmas iniquidades.

A mente de Deus é fantástica! Ele criou as emoções para vivermos a plenitude na Terra. Cada emoção com uma função. Algumas pessoas são viciadas em alegria. É bom ser “viciado” em alegria, mas não é bom ser viciado em medo, apesar de sabermos que há um lado compensador, mas também um lado destrutivo.

Quando você vai atravessar uma rua, vê um carro e fica com medo, isso é bom, porque você fica atento e toma cuidado. Se você não tiver medo, vai atravessar a rua de qualquer jeito e pode se arriscar ou até mesmo sofrer um acidente.

COMO LIDAR COM AS EMOÇÕES

O que fazer com as emoções? As emoções ruins você deve tratar, e as boas você deve equilibrar. Caso contrário, será um fracasso. Um líder tratado e de emoções equilibradas tem autoridade para sentar com o discípulo e saber como tratá-lo. Diante dos erros e das falhas do discípulo, o líder nunca vai condenar, mas ajudar.

Quem é viciado em emoções não sabe ouvir o outro. É um líder preso em si mesmo. Às vezes, existe uma solução tremenda para nossa vida, mas estamos amarrados, esquecemo-nos de que Jesus nos fez livres.

Nossos discípulos precisam ser poderosamente consolidados. Nós vamos desviciar as nossas emoções e começar a tratar os nossos discípulos. Sabemos que existem discípulos que são uma bomba, e é função do líder avisá-los do perigo que estão correndo e tratá-los.

Em Romanos 4:17, está escrito: somos pais de multidão. Isso não é uma brincadeira! Mas os nossos 12 viciados emocionalmente não vão deslanchar enquanto não tomarmos uma posição, enquanto não nos abrirmos para sermos tratados para depois tratá-los em amor. Quando os 12 chegam até nós com sentimentos de condenação, temos apenas uma ferramenta que poderá ajudá-los a vencer: o amor. Eles têm que se sentir amados.

Quando você for conversar com o seu discípulo, saiba pelo menos o básico sobre ele: nome, onde mora, etc. E lembre-se: ao conversar com ele, não o julgue, pergunte como ele está, o que gosta de fazer, comece com amenidades, isso ajuda a tornar mais leve o momento.

A função do líder é curar, é desviciar as emoções negativas e potencializar as emoções positivas para que o discípulo possa ser livre de todas as enfermidades de alma.

Visualizações: 6696

Plano de Leitura Bíblica

24 Dez
Jó 33
Zacarias 9
Apocalipse
7 a 9
25 Dez
Jó 34
Zacarias 10
Apocalipse
10 e 11
26 Dez
Jó 35 e 36
Zacarias 11
Apocalipse
12 e 13
27 Dez
Jó 37
Zacarias 12
Apocalipse 14
28 Dez
Jó 38
Zacarias 13 e 14
Apocalipse
15 e 16
29 Dez
Jó 39
Malaquias 1
Apocalipse
17 e 18
30 Dez
Jó 40
Malaquias 2
Apocalipse
19 e 20