“Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós.” (I Coríntios 5:7)

Como vimos no estudo anterior, a primeira Páscoa marca a libertação do povo de Deus da escravidão em que viviam no Egito. Esse momento especial tem alguns elementos que são bem diferentes da Páscoa que conhecemos hoje. Não tem coelho nem ovo, e nem chocolate, e muito menos ovo de chocolate. A verdadeira Páscoa foi celebrada com ervas amargas, pão sem
fermento e a carne do cordeiro, conforme Deus disse a Moisés que deviam fazer. E outra coisa interessante é que o sangue do cordeiro tinha que ser passado nos umbrais das portas, o que mostrava que ali naquela casa tinha alguém que cria e amava a Deus, e assim estariam livres do anjo da morte.

Hoje o mundo celebra uma Páscoa diferente, e que precisamos conhecer bem direitinho para que possamos celebrar a Páscoa verdadeira, que é a bíblica, com muita alegria. Pois quando Deus criou o homem, Ele o criou como Sua imagem e semelhança, soprando nele o Seu fôlego de vida. Mas o homem permitiu que o pecado entrasse em seu coração, e isso o afastou do seu Criador.

Contudo, Deus amou o homem de tal maneira, que não podia permitir que ele ficasse longe, e escravo do pecado. Por isso preparou todo um plano de Salvação, de resgate da Sua Criação, da mesma forma que preparou todo um plano para tirá-los da escravidão do Egito.

Assim como pecado entrou no mundo por um homem, esse mundo teria que ser salvo por um homem também. Mas não um homem qualquer, porque todos os que nasceram nesta Terra já nasceram com a semente do pecado em seu coração. Então, Deus enviou Seu próprio filho Jesus, para nascer como homem e entregar a Sua vida para resgatar a nossa vida das mãos do inferno. Veja só que lindo: Deus entregou o que tinha de mais precioso, o Seu próprio filho, para que eu e você possamos ser livres do pecado.

No período em que ia ser celebrada a Festa da Páscoa dos judeus, relembrando a libertação do povo da escravidão do Egito, Jesus foi preso e açoitado; puseram uma coroa de espinhos em Sua cabeça e, depois, foi crucificado entre ladrões. Jesus morreu, foi sepultado, mas o melhor de tudo é, que, após três dias, Ele ressuscitou! Isso mesmo: o Filho de Deus morreu na Cruz do Calvário, entregando Sua vida em troca da nossa, pagando com preço de sangue os nossos pecados, venceu a morte e o inferno, e RESSUSCITOU!

Você lembra do cordeirinho que foi a ceia do povo de Deus antes de saírem do Egito? Lembra do sangue que foi passado nas portas das casas para livrá-los da morte? Deus nos deu o Seu Cordeiro Santo, Seu filho, para ser o nosso livramento da morte pelo pecado. O Cordeiro Santo, Jesus, morreu na Cruz, derramando o Seu sangue para nos lavar e nos livrar de toda imundice do pecado. Por Ele temos livre acesso à presença de Deus, pois Ele abriu o caminho, e fomos devolvidos a Deus como filhos.

A ressurreição de Jesus nos deu o direito à vida eterna e a morte foi vencida. Você pode estar pensando: Como a morte foi vencida se ainda morremos? Foi vencida porque não permaneceremos nela. Temos a certeza de que teremos uma vida eterna ao lado do nosso Deus.

E então, após saber a verdade sobre a Páscoa bíblica... Quem precisa de coelho, de ovo ou de chocolate? Temos o Cordeiro Santo que nos dá vida abundante e liberdade.

JESUS É A VERDADEIRA PÁSCOA!
FELIZ PÁSCOA, DE VERDADE!

Visualizações: 3126

Plano de Leitura Bíblica

25 Dez
Jó 34
Zacarias 10
Apocalipse 10 e 11
26 Dez
Jó 35 e 36
Zacarias 11
Apocalipse 12 e 13
27 Dez
Jó 37
Zacarias 12
Apocalipse 14
28 Dez
Jó 38
Zacarias 13 e 14
Apocalipse 15 e 16
29 Dez
Jó 39
Malaquias 1
Apocalipse 17 e 18
30 Dez
Jó 40
Malaquias 2
Apocalipse 19 e 20
31 Dez
Jó 41 e 42
Malaquias 3 e 4
Apocalipse 21 e 22