“Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso; quem o pode ouvir? Sabendo, pois, Jesus em si mesmo que os seus discípulos murmuravam disto, disse-lhes: Isto escandaliza-vos? Que seria, pois, se vísseis subir o Filho do homem para onde primeiro estava? O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos disse são espírito e vida. Mas há alguns de vós que não creem. Porque bem sabia Jesus, desde o princípio, quem eram os que não criam, e quem era o que o havia de entregar. E dizia: Por isso eu vos disse que ninguém pode vir a mim, se por meu Pai não lhe for concedido. Desde então muitos dos seus discípulos tornaram para trás, e já não andavam com ele. Então disse Jesus aos doze: Quereis vós também retirar-vos? Respondeu-lhe Simão Pedro: Senhor, para quem iremos, tu tens as palavras da vida eterna; e nós, temos crido e conhecido que tu és o Santo Deus. Replicou-lhes Jesus: não vos escolhi eu em número de 12, contudo, um de vós é o diabo, referia-se ele a Judas, filho de Simão Iscariotes, porque era quem estava para traí-lo sendo um dos 12.” (João 6:60-71)

Dentro da equipe, Jesus denunciou um desfalque de caráter, havia um que era diabo. O verbo ser refere-se à existência, fala da essência de estar em. Então, a essência do diabo estava em um dos 12. Você acha que é difícil o inimigo pegar a essência dele e colocar na vida de um dos 12 que dá brechas? Não! Jesus afirmou que um dos 12 era diabo, estava a composição de um comportamento plenamente endiabrado, estava alterada dentro de toda forma de instrução e doutrina, em relação à forma como Jesus havia instruído a equipe e os discípulos. Um, dentro da equipe, havia bebido de outra essência, estava com uma essência que não era a mesma do ensino, da doutrina, da chamada de Jesus.


Cuide da sua essência

Talvez você já tenha convivido com pessoas que tinham um coração lindo diante de Deus e, de repente, mudou totalmente. Um discípulo fiel que, de repente, não era mais o mesmo, tornou-se avesso ao que aprendeu. O que houve? A essência foi mudada. Jesus estava falando de um dos 12. Ele não havia tirado Judas, ele mesmo se excluiu. Não é líder que exclui 12, mas é o 12 que se exclui do líder, da equipe. Como isso ocorre? O indivíduo se exclui dizendo que não são dignos ou que são bons demais; uns acham que não são nada, outros acham que são muita coisa. Cada 12 tem um comportamento. Dessa forma se excluem.

É muito difícil estar no meio da equipe e o líder levantar e dizer que um dentre os 12 é diabo. Judas chamuscava o inferno, porque deixou que outra essência tomasse conta da sua vida. Você, com certeza, não queria estar nesse dia com Jesus. Era melhor ir comprar pão para a multiplicação, observar como estava o clima em Jerusalém, qualquer coisa, menos fazer parte da reunião em que o Mestre declarou que um dos 12 era diabo. Ora, Ele, Jesus, havia levantado aqueles 12 (v.70), como poderia um ser diabo?

Naquele momento, talvez, todos tenham ficado perplexos. Provavelmente, começaram a se perguntar quem seria ou no que poderiam ter errado com o Mestre. Mas, para Judas, certamente aquele foi um dia terrível. Ele já sabia que a sua essência havia mudado, que estava contaminado com outra essência.

Jesus sentiu que, na Sua equipe, alguém tinha mudado a química, a vida tinha mudado, bem como o comportamento, a vida mudou, o comportamento e a linguagem mudaram; já não havia mais a mesma admiração, o mesmo conceito; tudo fora alterado. É difícil conhecer o 12 que não se deixa revelar. Mas é bom andar com o líder que tem a visão e a revelação. Para isso, é preciso ter discernimento de espírito, dom dado por Deus. Assim, quando você coloca os olhos, reconhece quando algo está errado e, de imediato, você sabe que a essência e a fragrância são outras.

Jamais permita que o diabo coloque uma outra essência em sua vida e na sua equipe. Jesus disse que os 12 precisavam saber que o problema estava dentro da equipe, na essência de um que fora escolhido como 12. Jesus é tão estratégico que falou sobre o que acontece quando uma vida muda, deixando de ser casa de Deus para ser casa do diabo.

Jesus ensina que, nós que somos 12, precisamos ficar atentos para não sermos influenciados pelo diabo, um 12 com a revelação do Céu, mas contaminado por Satanás, como aconteceu com Pedro. Jesus disse a Pedro que passasse para trás dEle, pois era Satanás. Se fosse um de nós que dissesse isso a um dos 12, ele nunca mais voltaria à reunião. Mas Jesus estava cheio da revelação do Trono.

Quando somos movidos pelo discernimento de espírito, sabemos quando as pessoas estão sendo usadas para mudar o foco. O espírito de discernimento nos livra de qualquer rota do engano. Quem faz isso é Deus com aqueles que não se deixam contaminar por uma essência diferente, contrária à do Messias.

Deus gosta de nos firmar em caminhos sólidos. Você não pode andar por caminhos tortuosos, inseguros, sabendo que as pessoas que andam com você estão tramando contra a sua vida. Não há prazer nisso. Precisamos gerar confiabilidade na equipe. Jesus narra a estratégia de Satanás em relação à casa limpa. É o que vamos aprender na semana que vem...


Continua...

Visualizações: 493

Plano de Leitura Bíblica

15 Ago
I Reis 10
Jeremias 36
Marcos 10
16 Ago
I Reis 11
Jeremias 37
Marcos 11
17 Ago
I Reis 12
Jeremias 38
Marcos 12
18 Ago
I Reis 13
Jeremias 39
Marcos 13
19 Ago
I Reis 14
Jeremias 40
Marcos 14
20 Ago
I Reis 15
Jeremias 41
Marcos 15
21 Ago
I Reis 16
Jeremias 42
Marcos 16