“Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso; quem o pode ouvir? Sabendo, pois, Jesus em si mesmo que os seus discípulos murmuravam disto, disse-lhes: Isto escandaliza-vos? Que seria, pois, se vísseis subir o Filho do homem para onde primeiro estava? O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos disse são espírito e vida. Mas há alguns de vós que não crêem. Porque bem sabia Jesus, desde o princípio, quem eram os que não criam, e quem era o que o havia de entregar. E dizia: Por isso eu vos disse que ninguém pode vir a mim, se por meu Pai não lhe for concedido. Desde então muitos dos seus discípulos tornaram para trás, e já não andavam com ele. Então disse Jesus aos doze: Quereis vós também retirar-vos? Respondeu-lhe Simão Pedro: Senhor, para quem iremos, tu tens as palavras da vida eterna; e nós, temos crido e conhecido que tu és o Santo Deus. Replicou-lhes Jesus: não vos escolhi eu em número de 12, contudo, um de vós é o diabo, referia-se ele a Judas, filho de Simão Iscariotes, porque era quem estava para traí-lo sendo um dos 12.” (João 6:60-71)

Dentro da equipe, Jesus precisava denunciar um desfalque de caráter. Na equipe dos 12, havia um que era diabo. Essa palavra, o verbo ser, é tão clara para nós, mas muitas vezes, passamos despercebidos. ‘É’ refere-se à existência. O verbo ser fala da essência de estar em. Então, a essência do diabo estava em um dos 12.

Você acha que é difícil o inimigo pegar a essência dele e colocar na vida de um dos 12 que dá brechas? Não! Jesus estava afirmando que um dos 12 era o diabo. Um deles estava com a essência maligna. Dentro dessa pessoa, estava a composição de um comportamento plenamente endiabrado, a pessoa estava alterada dentro de toda forma de instrução e doutrina, em relação à forma como Jesus havia instruído a equipe, aqueles discípulos.


Comportamento problemático de um 12

Jesus estava dizendo que um, dentro da equipe, havia bebido de outra essência. O problema é a essência do que temos ouvido, comido, bebido. Jesus disse que um dentre os 12 estava com uma essência que não era a mesma do Seu ensino, da Sua doutrina, da Sua chamada. Alguém havia mudado a essência.

Talvez você já tenha convivido com pessoas que tinham um coração lindo diante de Deus e, de repente, mudou totalmente. Um discípulo fiel que, de repente, não era mais o mesmo, tornou-se avesso ao que aprendeu. O que houve? A essência foi mudada.

Jesus estava falando de um dos 12. Ele não havia tirado Judas, ele mesmo se excluiu. Não é líder que exclui 12, mas é o 12 que se exclui do líder, da equipe. Como isso ocorre? O indivíduo se exclui dizendo que não são dignos ou que são bons demais; uns acham que não são nada, outros acham que são muita coisa. Cada 12 tem um comportamento. Dessa forma se excluem.

É muito difícil estar no meio da equipe e o líder levantar e dizer que um dentre os 12 é diabo. Judas chamuscava o inferno, porque deixou que outra essência tomasse conta da sua vida. Você, com certeza, não queria estar nesse dia com Jesus. Era melhor ir comprar pão para a multiplicação, observar como estava o clima em Jerusalém, qualquer coisa, menos fazer parte da reunião em que o Mestre declarou que um dos 12 era diabo. Ora, Ele, Jesus, havia levantado aqueles 12 (v.70), como poderia um ser diabo?

Naquele momento, talvez, todos tenham ficado perplexos. Provavelmente, começaram a se perguntar quem seria ou no que poderiam ter errado com o Mestre. Mas, para Judas, certamente aquele foi um dia terrível. Ele já sabia que a sua essência havia mudado, que estava contaminado com outra essência.


Continua...

Visualizações: 515

Plano de Leitura Bíblica

20 Set
I Crônicas 3
Ezequiel 16
Lucas 12

21 Set
I Crônicas 4
Ezequiel 17
Lucas 13 e 14
22 Set
I Crônicas 5
Ezequiel 18
Lucas 15
23 Set
I Crônicas 6
Ezequiel 19
Lucas 16
24 Set
I Crônicas 7
Ezequiel 20
Lucas 17
25 Set
I Crônicas 8
Ezequiel 21
Lucas 18
26 Set
I Crônicas 9
Ezequiel 22
Lucas 19