“Como Deus o ungiu com o Espírito Santo e com poder; o qual andou por toda parte, fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do Diabo, porque Deus era com ele.” (Atos 10:38)

A confissão da nossa esperança deve estar ativada em todo o tempo. Olhamos para todos os lados e só Jesus tem o poder de nos tirar de qualquer catástrofe. Muitas coisas já aconteceram e sabemos que não somos mais os mesmos em muitos aspectos.

Muitas vezes, ficamos assustados e nos perguntamos: “O que aconteceu comigo?”. Uma coisa é certa: Deus continuará fazendo milagres e completando a boa obra que começou em nossas vidas. Podemos até não saber como, mas que Ele fará, sabemos que sim. Então, vamos seguir confessando a nossa esperança, porque a fidelidade de Deus jamais nos deixará envergonhados, mesmo quando estivermos passando por desertos na nossa liderança.

Em tudo, Deus sempre será Bom e Fiel. Só precisamos crer para manter a chama profética acesa e sempre declarar: “Até aqui nos ajudou o Senhor!”. Ele nos ungiu e nos capacitou para a Sua boa obra: “Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com poder; o qual andou fazendo bem, e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele.” (Atos 10:38)


3. Fazendo o bem a todos os que estão com você

Nossa missão é devolver esperança ao coração do povo. Fazer o bem é assistir às necessidades. Dar pão para quem tem fome, dar água para quem tem sede, curar os que estão enfermos e visitar os que estão em prisões. Se a Igreja não faz isso, a missão está incompleta e vai receber de recompensa: “Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos.” (Mateus 25:41)

Hoje, a ordem é: Muito trabalho e pouco discurso. Fazer o bem é efetivar obras sociais e educacionais, é a evangelização em massa, levar esperança para o povo e fazer a obra de um evangelista. O suprimento em quatro áreas: Física, material, psicoemocional e, claro, espiritual-sobrenatural. Levar o povo a ter novas experiências de fé e concentrar nas pessoas a esperança em Cristo Jesus, Senhor e Salvador da humanidade.


4. Curar os oprimidos do diabo

Precisa dizer que estamos em meio à maior opressão global pela qual a Terra já passou? Somos o País mais ansioso do mundo, desenvolvendo síndromes de pânico e medo. O que é isso? Opressão! E opressão é forças demoníacas, espíritos malignos agindo para drenar a energia da nossa gente.

As pessoas estão desesperadas! Isso mesmo, desesperadas. Como se não existissem mais profetas, os discursos são humanistas, de linha progressista, são os Hans Kins da era moderna, que defendem as teses da incursão sem critérios (Não somos exclusivos – somos inclusivos – isso é verdade?).

A noção do certo e errado está negociada, tem um desarrume de ordem que não partiu do povo para os líderes, mas dos líderes para o povo. O sincretismo religioso está infiltrado e as regras da NORMALIDADE estão acentuadas na mente dos fiéis.

Como fazer essa faxina? Sair da internet ou doutrinar nossa gente? Vamos usar a ferramenta para instrução e conversão, ensino, palavra limpa, e o conteúdo de Jesus no caráter do povo. Levar o Jesus que desoprimia, mas compromissava. Essa opressão tem origem, o diabo. É bom que a Bíblia não esconde. Se não tratarmos isso com responsabilidade, nós iremos permitir que o INIMIGO reine sobre nós. (Os espinheiros estão aí, e a oliveira se negando à unção que lhe é devida).


Continua...

Visualizações: 593

Plano de Leitura Bíblica

20 Set
I Crônicas 3
Ezequiel 16
Lucas 12

21 Set
I Crônicas 4
Ezequiel 17
Lucas 13 e 14
22 Set
I Crônicas 5
Ezequiel 18
Lucas 15
23 Set
I Crônicas 6
Ezequiel 19
Lucas 16
24 Set
I Crônicas 7
Ezequiel 20
Lucas 17
25 Set
I Crônicas 8
Ezequiel 21
Lucas 18
26 Set
I Crônicas 9
Ezequiel 22
Lucas 19