“Não vem o reino de Deus com visível aparência. Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Lá está! Porque o Reino de Deus está dentro de vós.” (Lucas 17:20,21)

Quando entendemos que o Reino de Deus está dentro de nós, entramos no desafio de descobrir que nossa responsabilidade se ampliou. Quando entendemos sobre o Reino e não nos posicionamos, somos considerados súditos do Rei e revelados ignorantes aos direitos que os príncipes têm por direito.

Paulo é implacável na Carta aos Romanos, elucidando a questão do Reino de uma forma muito contundente. Podemos avaliar que a visão de Paulo é extremamente polida, e que não se tem nenhum tipo de negociação nem barganha para servir a Deus.

Falar isso para nós, que não temos o hábito de cultuar reis e imperadores, embora, alguns os sirvam como se fossem deuses, não nos dá a dimensão da guerra que Paulo estava entrando ao desafiar os poderosos e deixar esses documentos celebrados para nossa geração, assim como foi para a geração dele e será para as gerações futuras na qual se o Messias não voltar.

O que Paulo, Apóstolo do Senhor Jesus, o Cristo, advoga nessa Carta aos Romanos, nesse versículo tão contundente? O que comporta no Reino de Deus e o que não comporta no Reino de Deus. E isso ele faz com uma propriedade sem fim, e provoca uma revolução em meio aos romanos, que precisavam absorver uma anticultura, e como era do caráter de Paulo, experimentar o bom, perfeito e agradável, pela renovação da mente.

Vejamos o que ele escreveu: “Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. Porque pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um.” (Romanos 12:1-3)

O que Paulo nos ensina?

1. O que não é Reino

É importante as pessoas saberem o que não é o Reino, para que não fiquem ziguezagueando de um lado para o outro, como se não tivessem nenhuma responsabilidade com a chamada. É preciso saber o que não é o Reino, porque temos uma vocação impressa no espírito para mudar a nossa geração, para lutarmos contra a cultura humanista, plantando o Reino e sua Justiça, para que as outras coisas sejam acrescentadas.

Todo reino é composto por um rei, um brasão, uma língua, um exército, uma bandeira, um grito de guerra ou um hino que expresse a sua história. Esse povo, que compõe o reino, tem o perfil do rei, o caráter do rei, e obedece, irrestritamente, aos comandos do rei.

O sistema monárquico foi instituído por Deus. “E te farei frutificar grandissimamente, e de ti farei nações, e reis sairão de ti.” (Gênesis 17:6). De fato, os reinos e reis, assim como as autoridades, foram criados por Deus. A Palavra declara que toda autoridade é constituída por Deus. “Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas. De modo que aquele que se opõe à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos condenação.” (Romanos 13:1,2)

Sabemos a quem pertence o Reino. A Bíblia declara: “O sétimo anjo tocou a trombeta, e houve no céu grandes vozes, dizendo: O reino do mundo se tornou de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará pelos séculos dos séculos.” (Apocalipse 11:15). O Reino de Deus é do Senhor e Cristo Jesus, e Seus filhos. Por isso, a visão monárquica tem tanta força. Mesmo com o sistema democrático que nós vivemos, os nossos chefes de estado, os nossos presidentes têm regalias de rei, moram em palácios e têm tudo que está descrito acima.

O reino de um rei é maior que qualquer pensamento e maior que qualquer indivíduo, pois ele tem leis e princípios que não podem ser quebrados. Sabemos que somos filhos do Rei, isso é verdade, mas se estamos infringindo os princípios, seremos, inevitavelmente, punidos. Todos querem os direitos, mas poucos almejam os deveres. O Reino é regido por direitos, mas muito mais por deveres.


Continua...

Visualizações: 590

Plano de Leitura Bíblica

03 Ago
II Samuel 20 e 21
Jeremias 24
Romanos 12

04 Ago
II Samuel 22
Jeremias 25
Romanos 13 e 14
05 Ago
II Samuel 23
Jeremias 26
Romanos 15 e 16
06 Ago
II Samuel 24
Jeremias 27
Marcos 1
07 Ago
I Reis 1
Jeremias 28
Marcos 2
08 Ago
I Reis 2
Jeremias 29
Marcos 3
09 Ago
I Reis 3
Jeremias 30
Marcos 4