Na segunda noite de Congresso, o Apóstolo Renê disse que a nação de Israel se posicionou sobre o momento de instabilidade mundial e declarou que não ficará sob a escravidão de uma estratégia maligna. Também afirmou que estamos na maior guerra que esse Planeta já viveu, um toque de recolher sistemático, pensado, mas vamos viver a maior libertação de todos os tempos sobre nós e os nossos descendentes.

Ele declarou que o socialismo reformatou a mente das nações em uma cultura de mentira e quem mais sofre com isso é a Igreja, cerceada em sua liberdade. “É um ataque de Leviatã contra a Igreja, uma ação no mundo do espirito, uma organização da maldade. O sistema deste mundo, o sistema de Satanás, se levantou e não esconde mais a face”.

Acorda, Igreja!

As nações estavam adormecidas, em um sono coletivo, como no dia mais difícil da vida de Jesus em que os seus discípulos não conseguiam ficar acordados. Enquanto isso, o inimigo estava trabalhando contra a igreja, contra a equipe e contra Yeshua. Hoje todos estão dormindo, buscando seus próprios interesses, políticos, financeiros e empresariais, o problema é que sacerdotes e profetas também dormiram e o Planeta foi engolido por um espirito de atmosfera do inferno que cobriu de trevas toda a Terra. “Quando percebemos, estávamos confinados e o poder externo começou a dizer: "Agora quem manda somos nós", e no século da liberdade fomos roubados. Mas Deus vai libertar as nações! A Igreja não ficará confinada, não vão cercear nossa liberdade. Seremos levantados como touro bravo. Alguém precisa estourar o matadouro. Ou você acha que Deus permitiria que todas as nações da Terra, inclusive Israel, onde há sacerdotes do Altíssimo, ficassem presas? Confiamos tanto que dormimos, mas Jesus tem voz de leão e está rugindo de volta na nossa direção. Vamos acordar mais destemidos e com vontade de cumprir o propósito. Vamos sair melhores desse confinamento”.

Atmosfera de escravidão

O Apóstolo citou o povo hebreu ao sair do Egito e disse que depois que a pandemia passar, muitas pessoas podem construir seus ídolos, virar murmuradores, sentir saudade da terra de Faraó, porém, ninguém é feliz debaixo da atmosfera da escravidão. “Se é que o Filho do Homem vos libertou, verdadeiramente sereis livres. Não há meia liberdade, é preciso entender que com Faraó não há despedida, mas decisão. As lives que temos feito têm alcançado muitas vidas, e vamos viver a maior colheita de todos os tempos. Não sei como Ele vai fazer, mas sei que vai. Deus não brinca de avivamento, Ele muda histórias.

Outra declaração do Apóstolo foi a de que a opressão é atmosfera do inferno e cega o entendimento até daqueles que se julgam muito inteligentes. “Eu disse que seria vacina para a Igreja de Jesus, contra o medo. Quando o Senhor desbancou Faraó, a despedida foi: “Nunca mais veremos teu rosto!”. Nesse momento, a mente de todos abriu. A libertação acontece no nível físico, mental e espiritual. Deus não nos deixa no deserto sem nos dar o suprimento; é uma atmosfera de mudança de paradigma, mostrando quem somos de Deus e o que vamos ter da parte dEle. Deserto é lugar de expandir mentes, de Deus mostrar os novos líderes que vão conduzir o povo para um outro nível. Em que equipe estou? Na que vai entrar na terra ou na que vai ser sepultada no deserto?

Outra reflexão trazida pelo Apóstolo foi em relação às nossas próprias atitudes: “Se eu sai do jugo de Faraó, por que tenho que continuar escravo de mim mesmo? Porque não mudo a atmosfera da minha alma, e trago um espirito favorável à minha vida e história, preferindo conservar a atmosfera da saudade da escravidão do Egito? Devemos escolher entre a atmosfera de tirania, de trevas ou de liberdade. Deus disse: "Eu vou libertar você de tal maneira que vou apagar a sua memória do Egito. Vocês vão ter a visitação de uma atmosfera de luz removendo a de trevas. Se você tiver esse entendimento, nunca mais vai voltar a servir os Faraós. Deus levantou um libertador chamado Moises, mas disse que queria levantar também os pequenos libertadores das casas, gerações, descendências que vão imolar o cordeiro e passar o sangue nas portas. Sobre o Brasil, Deus também está levantando libertadores. Cada casa estará alimentada pelo Cordeiro vivo e não vamos ser entregues nas mãos dos tiranos.

Deus depôs Faraó e seus tiranos, tirando aquilo que eles mais gostavam, pois se não tiver uma dor profunda não há libertação verdadeira, pois o aprendizado não acontece sem dor. Entrou uma atmosfera libertadora! Quero anunciar nos céus do Brasil que vamos viver a maior libertação pela qual uma Nação já passou, e vamos contar para os nossos netos. Mas, para que tudo isso se consolide, é preciso arrependimento e depois libertação, pois só um liberto tem legitimidade para tirar as algemas de um escravo. Eu e você seremos partícipes da maior libertação global. É a hora de Deus!”.

Receba esses decretos, entenda, com a mente de Cristo, o que está sendo revelado pela boca do profeta. São verdades que o Senhor decidiu revelar da Jerusalém do Brasil, para toda a Terra.

Visualizações: 231