“Respondeu-lhe Jesus: Não vos escolhi a vós os doze?” (João 6:70)

Os 12 são escolhidos por Deus como Modelos para manter a chama da santidade acesa. Os 12 são uma liderança forte, suportam confrontos e palavras duras, resultando na resposta da colheita.

Jesus, ao ministrar para os 12, deu-lhes uma palavra tão firme que os que não eram 12 foram embora, como vemos em João 6:66. Mas os que eram 12, verdadeiramente, ficaram, permaneceram. Permaneceram porque os 12 são maduros para receber palavras de exortação, são maduros para receber palavras de orientação, são maduros para receber a missão a qual o Senhor os destinou.

Jesus disse que quem escolheu os 12 foi Ele para nascer um ministério apostólico, a partir dos 12. Então, há uma legalidade e uma orientação divina para os 12. Os 12 são um sinal de colheita, de mudança e de demarcação de território para a conquista. Quando levantamos os 12, territórios são demarcados e conquistados. Porque quando Jesus levantou os 12, Ele o fez como um sinal de ministério profético.

Se Jesus não levantasse os 12, não mexeria com as comunidades, com a inteligência rabínica, com aqueles que faziam parte do clã.
Mas, ao levantá-los, houve uma preocupação, porque eles representavam as 12 Tribos. O Messias era o Restaurador das 12 Tribos e escolheu os 12 para a conquista de territórios.

Os 12 são mais que um Modelo, são um Ministério

Os 12 são um Ministério quando são, antes, um Modelo no caráter de Jesus para cumprir um propósito específico. Jesus levantou os 12 para que uma missão específica se cumprisse na Terra e territórios fossem conquistados. Qual a missão dos 12? Ganhar o território onde estão plantados. Para isso, recebem uma unção sobrenatural, pois são levantados em ousadia e coragem.

Os 12 são a escolha de Jesus, por isso resultam numa resposta de colheita no sobrenatural. Existe uma diferença em ser discípulo e em ser 12. O discípulo está em formação, os 12 estão formados. Os discípulos estão em preparação, os 12 estão preparados. Os discípulos estão sendo forjados, os 12 estão forjados. Os discípulos reproduzem discípulos, os 12 reproduzem 12.

Missão dos 12

Há uma missão para os 12, visto que Jesus os escolheu em número de 12. Portanto, não há como dizer que os 12 não são de Jesus. Como alguém pode ousar dizer que a Visão Celular não é de Jesus, se tudo se cumpre por princípio?! A história é marcada pela evolução de 12. Ismael teve 12, mas nenhum fez história. Depois vieram os 12 de Jacó, dos quais somente um fez história. Moisés teve 12, dois fizeram história. Jesus teve 12, dos quais três ficaram em evidência.

Os 12 da Igreja são o sinal que precisamos. Os 12 fazem história porque são um domínio de Jesus, pois são comandados pelo Espírito Santo. Jesus escolheu 12 e reconheceu que um era diabo e ele não ficou na Equipe. Então, quando os 12 são formados, o inimigo tem que bater em retirada, porque eles têm discernimento para tirar todo espírito de malignidade que quiser rodear o território.

A Visão de Yeshua é 12. Os 12 são a proteção da Visão de Yeshua. Quando levantamos 12, a Visão é protegida. É uma conquista magnífica de territórios. Levamos muito tempo desatando a liderança, forjando o caráter, instruindo para que você fosse o líder que é hoje. Então, a primeira transição já foi feita. Estamos em outro momento, formando as Equipes debaixo de metas. É o tempo da resposta da colheita onde conquistaremos ainda mais territórios de forma extraordinária.

Se você parar, por um momento, e pegar uma folha de papel para escrever o nome de três pessoas que você ama, descobrirá mais três, depois mais três... Finalize com mais três nomes. Você acaba de fechar a sua Equipe de 12. Quero ratificar que fechar a Equipe de 12 é uma conquista de território incrível para quem quer tomar a cidade. O que podemos ver é que a resposta da colheita sempre está à nossa frente, só precisamos agir. Isso é um exercício de liderança que prova a você que sempre haverá pessoas dispostas por Deus para fazer parte da sua Equipe, que estão ao seu lado e você, por algum motivo, nem percebeu, mas são a resposta da sua colheita.


Clame a Deus pela sua conquista de território, sua Equipe de 12

O líder deve clamar para ter uma Equipe de 12, para ter o Modelo. O Modelo, que são os 12, tem um caráter indesistível; os 12 não desistem, porque têm maturidade suficiente para permanecer firmes e inabaláveis. Entendem o confronto como algo necessário para o crescimento espiritual, como semente para a cura.

Quando você souber que um 12 desistiu, foi porque havia imaturidade, havia o título de 12 sem a ocupação madura da função. Porque os 12 são indesistíveis, neles reina o caráter da maturidade. Através dos 12, o crescimento é desatado de forma sobrenatural. Os 12 fazem nascer uma multidão sem limites que gera uma resposta de colheita inimaginável.

Os 12, através da maturidade, trazem o sobrenatural de Deus. Mesmo passando por guerras e dificuldades, não desistem, porque sabem que as guerras trazem consigo despojo, riquezas. Os indesistíveis trazem despojo e colhem prosperidade. Foi por isso que Jesus perguntou se queriam desistir. Mas Pedro respondeu que não tinham para quem ir a não ser para Ele mesmo, pois somente Ele tinha as palavras de vida eterna.

Os 12 têm uma química indesistível. Esse é o caráter dos 12, porque são maduros. Eles reconhecem que Deus quer usar o líder que está sobre eles para tratar o caráter e levá-los a outro nível de liderança. Deus levantará os 12 para estarem ao lado do líder e juntos levantarem uma geração forte e poderosa. É um manto específico para vencer as dificuldades e não desistir por causa das intempéries. Em Gênesis 14, está escrito que, depois da guerra, temos direito ao despojo. Se você está enfrentando guerras, saiba que haverá despojo, mas somente para os indesistíveis, pois estes colhem abundantemente.

Os 12 precisam ter o caráter forjado diariamente, devem ser maduros e equilibrados para vencer as guerras e ensinar outros a vencerem também. Devem permanecer firmes sempre, apesar das lutas.


O Modelo dos 12 não perde o foco

O Modelo dos 12 não perde o foco, não entra em rotas de distrações. Os 12 sabem quem é o líder que está sobre eles. Aqueles que mudam o foco ficam no meio do tempo, perdidos. Todos que se perdem no foco, literalmente, erram o caminho.

Os discípulos de Jesus levantaram, olharam para Ele e foram embora. O Mestre reconheceu quão dura era aquela palavra, mas os 12 poderiam ouvir, porque eram mais que discípulos, eram servos e amigos. Os 12 aprendem a servir e preservam a amizade. Não é qualquer confronto que tira os 12 do meio do caminho. Precisamos aprender que Deus nos deu essa bênção de olhar para o foco sem se perder. Os 12 são como um farol sobre o navio que jamais erra a direção. O líder dos 12 é um foco para os seus liderados.

Você precisa ser foco para os seus 12. Que eles possam olhar para você e ver que apesar de suas imperfeições, maiores são as suas qualidades. Claro que não seguimos os líderes pelos defeitos que têm, mas pela vida de Deus que possuem, apesar de suas falhas.

O que você tem de Deus deve crescer cada vez mais em sua vida e o que tem de você em você mesmo, deve diminuir, porque convém que Ele cresça. O problema de alguns é que exigem que as pessoas sejam o que não são e que façam o que não fazem. Isso é hipocrisia, é desonestidade. Todos nós temos defeitos, dificuldades que não são necessariamente para derrota.

Quando Paulo reclamou com Jesus sobre o espinho na carne, Jesus lhe disse que a Sua graça era suficiente para que ele continuasse. E Paulo continuou, pois entendeu a sua humanidade e não perdeu o foco.

Apenas os discípulos comuns desistem, porque perdem o foco. Os 12 são mais que discípulos, são servos de foco antenado, são líderes incomuns. Eles não desistem nunca. Sabem que o lugar em que estão é para que sejam curados em suas debilidades, por isso não abrem mão do líder, nem medem o nível de unção que está sobre eles.

Não tire os olhos do foco. Se perder o foco, não é 12, não é equipe; é grupo de desistido que não aguenta ouvir uma exortação. Pedro entendeu que não poderiam ir embora porque Jesus era o foco deles.

Precisamos nos parecer com Jesus e ser foco para muitos, para que não se percam. Então, muitos que estavam em laço, voltarão reconhecendo que não eram discípulos nem servos, mas que agora querem ser 12. Quem é 12, depois da exortação, fica ainda mais junto ao líder, e descobre que o líder é a fonte de vida, o equilíbrio da Equipe.

O alvo de ser Modelo é para ser fonte de vida, para que os discípulos olhem e sejam conduzidos até chegar ao destino, sem perder o foco no meio do caminho. Por causa dos 12, todo espírito maligno sairá do nosso território.

Jamais podemos esquecer que Quem nos escolheu para ser 12, para ser Modelo foi Jesus. Por isso, nosso caráter deve ser indesistível. Somos líderes
de avivamento, fomos arrancados da desistência
e plantados na frutificação, no respeito pela liderança.

Um novo tempo está sendo estabelecido sobre a Igreja. Avançaremos em uma velocidade jamais imaginada, porque copiaremos o Modelo de Jesus. Alcançaremos, através do Modelo dos 12, uma resposta de colheita extraordinária e uma conquista de território que não poderá ser medida.

É chegado o melhor tempo para todos nós.

Visualizações: 1525