Estamos por 19 anos em Porto Seguro. E 19, em hebraico, significa entrar numa guerra como Armagedom ou entrar em um tempo poderoso de conquistas. É você quem escolhe o tempo em que vai entrar.

O cenário político da nação brasileira foi profetizado ao longo desses 19 anos. E parecia que não ia acontecer, mas os pensadores que acreditavam na mudança da Nação foram boca de Deus para gerar a mudança que vimos hoje. E isso é só o começo, porque veremos a nossa Nação passada a limpo, porque Deus não está brincando de mudança, Ele está estabelecendo o novo dEle.

Porto Seguro não é um lugar de celebridades, é um lugar de se pagar preço. Pois quem despreza o Útero da Nação, não preza mais nada. Então, não adormeça na promessa. Eu tenho uma promessa de Deus de que nossos filhos e netos viverão para dar continuidade ao nosso trabalho e colherão os frutos do que estamos plantando hoje.

Continuemos na brecha por causa do nosso país. Deus só precisa de um Profeta que não seja adormecido, mas antenado e focado, e que não arrefeça na confissão da esperança. Eu tenho sido tentado, ano após ano, para que o Congresso seja encerrado, mas meu entendimento sobre o apostólico foi aberto e não importa o quanto soprem no meu ouvido palavras contrárias, porque a voz de Deus ecoa dentro de mim para não abrir mão do trabalho que começamos, até que o Brasil seja levantado como objeto de louvor em toda a Terra.

Mas, o que está acontecendo conosco que por quase 20 anos estamos aqui? Estamos envelhecendo, entregando nossas forças ou estamos amadurecendo? A resposta cabe a cada um de nós. Da minha parte eu digo: Não vamos parar! Quando eu cheguei no Útero da Nação, tinha apenas 36 anos de idade e ainda hoje decido continuar pagando o preço físico, emocional, espiritual e financeiro para continuar este Congresso. Claro que somos assaltados, literalmente, carregando uma dívida financeira, mas seguimos acreditando que o Brasil vai mudar e a mudança começou em 2000.

Não pense que é coincidência o que estamos vivendo. Você sabe que aqui, em Porto Seguro, assim como em Jerusalém, declaramos que Dilma ia cair e que Lula seria preso. Eu sei em Quem tenho crido e sei o quanto Ele é Poderoso. E eu sei também a diferença entre envelhecer e amadurecer. Quero, daqui a 20 anos, ser alguém que mais que envelheceu, amadureceu, e cumpre a missão recebida do Pai, com a alegria do Senhor que é a nossa força. E no momento certo, entregar para a nova geração, a geração da força, o cajado, o avivamento.

Quando somos Profetas Velhos matamos a geração nova. Quando somos Profetas Maduros, ativamos a nova geração. Essa é a diferença de quem cumpre os princípios bíblicos do Senhor, como vemos em I Reis 13, todo o capítulo, que fala do Profeta Velho e do Profeta Novo. Que após ler o texto você decida não envelhecer, mas amadurecer e ser mentor de um poderoso avivamento que será entregue aos jovens. Não seja um sacerdote que negocia a sua visão, a sua chamada e a sua vocação. A verdade é que quando envelhecemos não apenas na idade, mas no espírito, não temos mais a mesma força de exaltar a Deus, não na mesma intensidade. Mas quando amadurecemos, conduzimos a nova geração para que não errem o caminho, orientando-a de forma correta.

O Profeta Velho disse ao Profeta Novo que tinha uma palavra de Deus para que este voltasse com ele, à sua casa. E era mentira. Isso porque o Profeta Velho é viciado nas suas neuroses de medo de ser substituído e perder a posição, então não mede esforço para manipular a nova geração. E a Palavra de Deus foi dura. Chegou a hora de os Profetas Novos não comerem pão nem beberem água na casa de quem perdeu a revelação.

Essa palavra não é para gerar uma rebelião, mas para que nós, Profetas Maduros, possamos ser mentores que investem na nova geração e não Profetas Velhos que dão pão e água de morte aos jovens. Nós faremos com que a nova geração faça a maior conquista neste tempo. Você precisa saber a hora de começar, de continuar e de parar. Podemos nos inspirar na vida de David Yong Choo.

Hoje, infelizmente, vemos muita meninice na vida de “homens e mulheres de Deus” que carregam o título, mas envelheceram na unção e não sabem apontar o destino para a geração que está chegando. Temos que saber quem somos e entender que Deus está fazendo uma grande transição e conta conosco.

O mesmo Profeta Velho que levou o Profeta Novo à casa dele, também disse que ele iria morrer. Nós que somos maduros temos que fazer uma rota diferente, ao encontrar um jovem, não levaremos a ele palavras de morte, mas de vida, com a autoridade que recebemos do Senhor.

Palavras de Profetas Maduros arrancam as síndromes de Profetas Velhos e abrem caminhos para que a nova geração rompa nas novidade de Deus.

Visualizações: 902