A abertura da CITY, na manhã deste Domingo, 08, foi recheada de fortes emoções. Com o tema Jerusalém – Cidade de Deus, descreveu a história de Jerusalém e fez os peregrinos se emocionarem com o testemunho de Yosef Aronh, sobrevivente do holocausto.

Este é o oitavo ano consecutivo da CITY, Convenção Internacional Tabernáculos Yerushalaim, realizada pela ICEJ-Brasil. Desde 2010, os peregrinos que vêm à Terra Santa, sabem que serão três manhãs de muito louvor, adoração, danças, ministrações, Atos Proféticos e surpresas da parte do Eterno, como aconteceu nesta manhã de abertura.

O Ato Profético retratou a história de Jerusalém, desde a conquista da cidade pelo grande rei Davi, passando pela Construção do Templo de Salomão, entrando pela tomada e destruição de Jerusalém, iniciando a diáspora, mostrando o Holocausto e, em 1948, a reconstrução do Estado de Israel, pelo decreto da ONU. Em 1967, Jerusalém foi unificada através de uma guerra, quando o povo judeu tomou a cidade por completo.

Um momento que emocionou a todos os peregrinos foi o testemunho de Yosef Aronh, sobrevivente do holocausto. Ele contou um pouco da sua história sofrida, quando foi abandonado pelo pai, ficando só com a mãe mais 11 irmãos na Alemanha. Ele, com apenas 6 anos de idade, tinha que trabalhar 16 horas todos os dias.

“Um dia, voltando do trabalho, no campo de concentração onde estava preso, encontrei umas batatas e levei para comer com meus amigos. Por causa disso, fomos castigados; eles arrancaram as nossas unhas, chicotearam as nossas costas e depois nos levaram de volta. No dia seguinte, tive que trabalhar, pois se eu ficasse na câmara, iriam me matar. No final da guerra, quando eu já estava com 10 anos e pesava somente 11 quilos, fui informado que meu pai estava morando na Holanda e que somente minha irmã havia sobrevivido; minha mãe e meus 9 irmãos foram todos mortos na câmara de gás. Um dia, eu fiz uma oração a Deus pedindo para que Ele me concedesse a graça de voltar para Israel, o que aconteceu em Março de 1948, dois meses antes da construção do Estado de Israel. Em outro momento de oração, chorei muito e pedi a Deus que me dissesse o que fazer e aonde ir, eu precisava trabalhar para sobreviver, pois estava morando na rua e me alimentando de lixo. Em um minuto senti entrando no meu corpo algo muito quente que me fez ficar em choque e tremer muito. E Deus disse a mim: Vai, meu filho, a porta está aberta para ti. Comecei a trabalhar, mesmo sem nunca ter frequentado uma escola. Deus, de forma surpreendente, me deu o dom de escrever e somar. Hoje falo seis idiomas. Tudo isso foi possível por causa de Yeshua”, testemunhou Yosef Aronh.

Essa foi uma manhã que ficará marcada para sempre no coração de cada peregrino da Caravana Terra Nova.

Visualizações: 1085