MATÉRIAS
A honra é a moeda que reverencia o futuro
Congressistas entendem que princípios são inegociáveis 
Foto: Maiko Mendonça   
Dione Santana

A honra abre portas para o êxito. É uma moeda que o futuro reverencia. Todos que honram têm direito a um legado, ministrou o Apóstolo Renê Terra Nova, na noite de Domingo. Exemplo disso, são as promessas de Deus baseadas em princípios, disse. “Quem honra pai e mãe vive muito.” Honra é uma promessa da boca de Deus, enfatizou.

Quem consegue consolidar tem honra e sabedoria. E isso demanda tempo, energia e conhecimento. É o mesmo que mudar o Universo, porque cada pessoa é um universo diferente, afirmou. Cada pessoa consolidada se torna uma rota de honra na sua direção.

Às vezes, um inimigo que se levanta contra alguém não é bem entendido, mas todo inimigo é uma chance para o novo. “Se não fosse Golias, não teria surgido Davi.”

Quando perdemos a visão da honra começamos a negociar a unção, disse. É o que aconteceu com Esaú, que a trocou por um prato de lentilhas. “Está nascendo uma geração consolidada que não vai negociar a unção.” Aos políticos que estão por aí, dizemos: nós não estamos à venda, enfatizou.

Esaú mentiu para os seus pais, negociou a bênção e o nome dele ficou na história como um homem de confusão e de amargura para seus líderes. “O argumento está na quebra do princípio.” A meta do inimigo era usar Esaú para trazer tristeza aos seus pais, acrescentou. Quando quebramos o princípio da honra, entristecemos líderes e autoridades. Todos que entram em desonra anulam tudo o que foi conquistado porque as pessoas registram as coisas ruins que fazemos, comentou. “Você pode ser uma pessoa de excelência e nobreza, mas se falhou uma vez, vai ser marcado. Você acha que Esaú não fez nada de bom em 39 anos de idade, antes de negociar a sua bênção?”

Esse homem e essa mulher extraordinários chamados Isaque e Rebeca não mereciam a atitude de Esaú. O estereótipo que marcou a vida dele é o de amargura. “A sua desonra irá gerar um filho perseguidor.” E frisou que o problema da desonra não é o presente, mas o futuro.

A descendência de Esaú deu origem ao maior perseguidor de Messias, porque Esaú era da linhagem de Edom, era um edomeu. “Esaú foi o patriarca que se relacionou com mulheres pagãs, originando no futuro, Herodes. Herodes era edomeu, descendente de Esaú, mas terminou seus dias comido por bicho.” Deus matou a desonra e ressuscitou a honra, Yeshua Ha Mashia. “O destino da desonra é morte, mas o da honra é a consolidação.”

 

 
VISITANTES: 670954
PRINCIPAL
MATÉRIAS
ENTREVISTAS
MINISTRAÇÕES
MENSAGENS
GALERIAS DE FOTOS
 

Copyright © 2010 Ministério Internacional da Restauração. Expediente