A funcionária pública Osvaldina Santiago Pereira, de 69 anos, guardava em casa uma relíquia: Todos os Informativos produzidos pelo MIR, desde a primeira publicação, no dia 19 de Julho de 1992. Ao todo, são nada menos que 1000 exemplares que ficaram muito bem acomodados dentro de um armário durante vários anos. “Eu moro em apartamento, e de vez em quando precisa tirá-los para arejar, depois colocava dentro de sacos plásticos para protegê-los. E como a quantidade crescia cada vez e eu não podia descartá-los, ia me desfazendo de outras coisas, mas nunca dos jornais”, conta ela, orgulhosa.

Quando viajava, Osvaldina pedia para alguém pegar o InfoMIR, e quando faltava aos Cultos sempre dava um jeito de conseguir o boletim depois. E o motivo para toda essa dedicação? Ela diz que fez isso por amor e por zelo. “É do meu coração! Pensei em ajudar o Ministério em algumas coisas, tanto que várias vezes já fui procurada por pessoas querendo saber informações sobre datas e outros acontecimentos que marcaram a história da Igreja, então eu ia verificar nos boletins, ou nos meus mais de 15 cadernos de anotações que acumulei ao longo dos anos”, conta ela, revelando um outro hábito, o de anotar partes de estudos e frases do Apóstolo Renê Terra Nova. Ao todo já são mais de 500 frases proferidas durante os Cultos e que são consideradas marcantes para ela.

Sem se dar conta, Osvaldina montou um precioso arquivo com a memória do MIR, um verdadeiro tesouro, que agora ela doou para o Departamento de Comunicação da Igreja, temendo que a umidade do local onde mora danificasse algo tão precioso que ela guardou com muito carinho. “Não é amor ao papel, é zelo por um trabalho que é muito bem feito, bem elaborado, uma forma de valorizar o MIR. Eu sabia que o que eu fiz não ia ser vão. Quando Deus me levar, eu sei que deixarei algo que poderá ser útil para outras pessoas que vão precisar, porque as informações somem, os arquivos digitais podem dar algum problema, mas o papel permanece”.

Osvaldina é discípula do Apóstolo Renê Terra Nova desde o tempo da Igreja Memorial. Ela conta que desde que o então Pastor chegou a Manaus, vindo da Bahia, sempre notou que havia algo diferente nele, por isso, guardar os Informativos também foi uma forma de preservar os estudos que o Apóstolo elabora para abençoar a Igreja e para honrar o homem de Deus que ele é.

O cuidado e o carinho pelos Informativos, e pelo que eles representam, é tanto que é difícil para ela escolher um exemplar especial, mas Osvaldina lembra de quando acompanhou, pelo boletim, a primeira edição do Congresso de Resgate da Nação, em 2000. Daí em diante, ela, mesmo sem nunca ter ido ao Congresso, em Porto Seguro/BA, sabe de detalhes do que aconteceu durante 20 anos de realização do evento, porque tudo ficou registrado nos jornais.

Osvaldina conta que acompanha as notícias, mas revela que gosta mesmo é dos Estudos Bíblicos para os 12 e para as Células. E cita uma ministração que foi muito marcante, de quando o Apóstolo Renê declarou que “Deus iria levantar as saias da nação brasileira e mostrar toda vergonha”, algo que temos visto se concretizar nos dias de hoje.

O Departamento de Comunicação do MIR agradece à querida Osvaldina, por ter sido incansável durante tantos anos, guardando nossos exemplares, preservando a memória do Ministério Internacional da Restauração e também por valorizar o trabalho da nossa equipe. É uma honra para nós dedicar algumas páginas deste Informativo especial para homenagear essa mulher cheia de boa vontade e que demonstra amor em pequenas e valiosas atitudes.

Visualizações: 181