“E perdoa-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos aos que nos tem ofendido.” (Mateus 6:12)

Para seguirmos Jesus e sermos curados, precisamos de alguns protocolos, dentre eles praticar o perdão. A doutrina do Senhor deve entrar na nossa alma como espada. Somos resultado do que ouvimos, e não estamos livres de ofensas, mas devemos, em cada uma delas, optar pelo perdão.

A cura para nós, assim como para aqueles que convivem conosco, está na extração das culpas plantadas através das ofensas lançadas. Infelizmente, é da natureza humana potencializar e conservar ofensas que, posteriormente, podem gerar doenças. Isso, para o diabo, é um prato cheio para trabalhar na vida dos filhos de Deus. Mágoas não tratadas liberam sementes de ira e levam as pessoas a sofrerem as penalidades como resultado.

Esmurrar a carne

Claro que perdoar quem ofendeu não é fácil. Mas onde está escrito que seria? Contudo, a doutrina na Palavra é clara: É preciso esmurrar a carne. E essa não é uma tarefa agradável para ninguém. Mas, apesar de não ser fácil, é possível.

“Mortificai, pois, os vossos membros, que estão sobre a terra: a fornicação, a impureza, a afeição desordenada, a vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria; Pelas quais coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência; nas quais, também, em outro tempo andastes, quando vivíeis nelas. Mas agora, despojai-vos também de tudo: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca. Não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do velho homem com os seus feitos, e vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou; onde não há grego, nem judeu, circuncisão, nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou livre; mas Cristo é tudo, e em todos. Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade; suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também. E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição. E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos. A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração. E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.” (Colossenses 3:5-17)

Mortificar a carne é um dos ensinamentos de Jesus, e nos proporciona dar a oportunidade de o Espírito Santo produzir em nós o Seu fruto. Jesus, em tudo foi e é o nosso maior exemplo. Quando Ele ministrou a oração do Pai Nosso, não era uma teoria para os outros, era uma prática que Ele estabeleceu no Seu caráter. Jamais Ele nos pediria uma coisa que Ele não estivesse vivendo.

Em Mateus 7:18-22 lemos: “Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons. Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis. Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade.” A chamada para nós é ser árvore boa que dá bons frutos, pois é assim que vencemos as armadilhas de Lúcifer.

Quando agimos, de acordo com a Palavra, nos tornarmos filhos com a mesma natureza do Pai. Como está escrito:

“Porque, qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus. Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus. As quais também falamos, não com palavras que a sabedoria humana ensina, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais. Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido. Porque, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo.” (I Coríntios 2:11-16)

Pertencemos a Deus. Temos Jesus no nosso coração. Somos guiados pelo Espírito Santo. Quando compreendemos essa verdade, caminhamos no discernimento de que somos dEle e podemos nos apossar da mente ungida e diferente do mundo, que perdoa as ofensas que se tornam pequenas diante da grandeza do Senhor em nossas vidas.

Continua...

Visualizações: 2260

Plano de Leitura Bíblica

19 Ago
1 Reis 14
Jeremias 40
Marcos 14
20 Ago
1 Reis 15
Jeremias 41
Marcos 15
21 Ago
1 Reis 16
Jeremias 42
Marcos 16
22 Ago
1 Reis 17
Jeremias 43
1 Coríntios 1 e 2
23 Ago
1 Reis 18
Jeremias 44
1 Coríntios 3
24 Ago
1 Reis 19
Jeremias 45 e 46
1 Coríntios 4 e 5
25 Ago
1 Reis 20
Jeremias 47
1 Coríntios 6