“Porque os dons e a vocação de Deus são sem arrependimento.” (Romanos 11:29)

“Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo bem, e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele.” (Atos 10:38)

Você não imagina o que Deus está preparando para a sua vida. Deus é um Deus de mistérios, vive nos provando, e muitas vezes não somos aprovados nesses testes. Precisamos estar antenados no mundo espiritual para que Ele libere o que está preparado para os vocacionados. “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo; como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; e nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade, para louvor da glória de sua graça, pela qual nos fez agradáveis a si no Amado, em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça, que ele fez abundar para conosco em toda a sabedoria e prudência; descobrindo-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que propusera em si mesmo.” (Efésios 1:3-9)

Somos uma geração de príncipes

Nossa chamada é excepcional. Somos príncipes mesmo, como descrito em Números 1:1-54. Deus escolhe seus príncipes para um grande mover do Espírito. Na mentalidade que possuímos, não conseguimos desatar pessoas, por sermos religiosos e não entendermos o poder de riquezas que podemos receber “por fé”. A fé é a maior riqueza, é o poder do Espírito Santo. Quanto mais desafios, mais pessoas vêm para se aninharem à nossa unção.

Dois níveis de mudanças vêm quando somos desafiados nessa chamada. Primeiro, porque nós somos cooperadores dos dons de Deus, nesse derramar do poder de Deus. Segundo, porque somos chamados para desatar prosperidade no povo que Ele nos confiou. Somos setados de uma forma incrível, como se nossa chamada fosse de qualquer maneira e os homens pudessem nos julgar diante da promessa de Deus.

Pensamos: Se eu falar sobre os dons, me criticam; se eu ministrar sobre prosperidade, me crucificam. E concluímos: “Esses assuntos desgastam a Igreja”. A falta de compromisso com os dons faz a Igreja perder o foco do Céu. A falta de ensino de prosperidade leva o povo à escassez. Na verdade, a falta de visão de riqueza mantém a Igreja na miséria e o Reino empobrecido.

Observe o nível da promessa: Darei tesouros escondidos. “Dar-te-ei os tesouros escondidos, e as riquezas encobertas, para que saibas que eu sou o Senhor, o Deus de Israel, que te chama pelo teu nome. Por amor de meu servo Jacó, e de Israel, meu eleito, eu te chamei pelo teu nome, pus o teu sobrenome, ainda que não me conhecesses. Eu sou o Senhor, e não há outro; fora de mim não há Deus; eu te cingirei, ainda que tu não me conheças; para que se saiba desde o nascente do sol, e desde o poente, que fora de mim não há outro; eu sou o Senhor, e não há outro. Eu formo a luz, e crio as trevas; eu faço a paz, e crio o mal; eu, o Senhor, faço todas estas coisas.” (Isaías 45:3-7)

Estabelecer os princípios nos faz arautos de uma promessa, tanto no desenvolvimento dos dons, como na doutrina de execrar a escassez do meio do povo. O Eterno não se associa à mente de pobreza, pois depõe contra as riquezas do Seu Reino. Embora Ele tenha criado o rico e o pobre, Ele não é Senhor da pobreza. O dom de ser próspero é para todos.

Não conheço ninguém que deseje ser pobre, na verdade, o povo não conhece o caminho da prosperidade, e nossa missão é ensiná-los essa rota para romperem esse espírito de pobreza, ruína e miséria. Somos vocacionados a trazer um mover dos dons e um mover de riqueza, e precisamos ser libertos para ministrar com autoridade na vida do povo. O Senhor está nos ministrando que Ele vai restaurar os dons e trazer riquezas escondidas. Chegou a nossa hora! Desenvolva a sua salvação e os dons que o Eterno confiou a você.

Somos escolhidos para reinar
“E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele seja glória e poder para todo o sempre. Amém.” (Apocalipse 1:6)

Uma vocação autêntica reina no seu território. Existem muitas maneiras de reinar na geografia da nossa confiança. Gostando ou não, somos territoriais. Ouço sempre uma frase: “Não invada a minha privacidade!”. Em outras palavras: “No território da minha alma quem manda sou eu!”. Isso é um aviso de que estamos estabelecidos em nós mesmos, somos donos da geografia da nossa alma. É uma visão de reino de dentro para dentro. “Não quero ser invadido!”.

Na concepção de se apossar do direito da aliança, é muito desafiador quando nós não somos ensinados. Há um espírito leigo no meio da Igreja. Os que possuem um pouco de conhecimento triunfam sobre os ignorantes.

Nessa chamada para andarmos no sobrenatural, precisamos entender que Deus nos constituiu uma geração de príncipes, e que somos chamados para reinar. E para que isso se torne verdade em nossas vidas, Ele tem que reinar primeiro no nosso coração. Quando Jesus é o centro de todo o nosso ser, então cumprimos a nossa missão de ser quem Ele nos fez para ser.

Usufrua a vida de príncipe à qual você tem direito.

Continua...

Visualizações: 1756

Plano de Leitura Bíblica

12 Ago
1 Reis 7
Jeremias 33
Marcos 7
13 Ago
1 Reis 8
Jeremias 34
Marcos 8
14 Ago
1 Reis 9
Jeremias 35
Marcos 9
15 Ago
1 Reis 10
Jeremias 36
Marcos 10
16 Ago
1 Reis 11
Jeremias 37
Marcos 11
17 Ago
1 Reis 12
Jeremias 38
Marcos 12
18 Ago
1 Reis 13
Jeremias 39
Marcos 13