“O Senhor visitou a Sara, como tinha dito, e lhe fez como havia prometido. Sara concebeu, e deu a Abraão um filho na sua velhice, ao tempo determinado, de que Deus lhe falara; e, Abraão pôs no filho que lhe nascera, que Sara lhe dera, o nome de Isaque. E Abraão circuncidou a seu filho Isaque, quando tinha oito dias, conforme Deus lhe ordenara. Ora, Abraão tinha cem anos, quando lhe nasceu Isaque, seu filho. Pelo que disse Sara: Deus preparou riso para mim; todo aquele que o ouvir, se rirá comigo. E acrescentou: Quem diria a Abraão que Sara havia de amamentar filhos? No entanto lhe dei um filho na sua velhice.” (Gênesis 21:1-7)

Todo conceito de filho é para Deus nos mostrar quem Ele é. Além de consertar a nossa vida, Ele é Deus que restaura histórias e quer restaurar a sua história plenamente. Toda imagem negativa que você assimilou do seu pai, da sua mãe, dos líderes patriarcais e matriarcais, influenciaram a sua história de forma positiva ou negativa.

Todo conceito de filho que você tem está relacionado ao seu pai e à sua mãe. Esse conceito pode ser muito bom, indiferente, razoável, amplo, traumático, etc. Mas algo é certo: esse conceito é, exatamente, de acordo com a leitura que você faz dos seus pais. Você pode pensar: “Mas eu nem tive um pai”. Então, seu conceito é de um pai ausente. E esse conceito é uma somatória comportamental dentro do seu fator social, ético, moral e familiar. Porém, todas as situações distorcidas, que causaram arranhões na sua alma, serão tratadas por Deus. O Senhor moldará você e ajustará a sua identidade de filho, pois Deus é Perfeito em tudo, é Perfeito como Pai.

Alguns possuem muita dificuldade em se relacionar com Deus Pai por causa da imagem ruim que têm dos pais ou das pessoas que tiveram participação em sua formação. Quando isso acontece é comum haver uma distorção de entendimento sobre quem é Deus. É por isso que Deus enviou estrategicamente o Seu Filho Jesus, para que, de irmão para irmão, haja em nós uma melhor compreensão acerca da Sua pessoa.

A Bíblia diz que um dia Felipe chamou Jesus e pediu que Ele lhe mostrasse o Pai, e Jesus respondeu que Ele era o Pai. “Disse-lhe Felipe: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta. Respondeu-lhe Jesus: Há tanto tempo que estou convosco, e ainda não me conheces, Felipe? Quem me viu a mim, viu o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai? Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, é quem faz as suas obras.” (João 14:8-10). Esse pedido revela a carência e a necessidade que temos de conhecer o Pai.

Jesus, através de Sua morte e ressurreição, levou-nos até o Pai, cumprindo, assim, Sua maior missão. Cada discipulador precisa engendrar no seu caráter o caráter de pai e, cada discípulo, o caráter de filho.

Assim, ambos terão uma identidade que não se equivoca, nem no seu projeto, nem na sua conquista.

Em Gênesis 12:1-8, vemos que a história de Abrão revela uma identidade de pai e uma identidade de filho. A história é canalizada para este foco central: a identidade de pai e de filho. “Ora, o Senhor disse a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. Eu farei de ti uma grande nação; abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome; e tu, sê uma bênção. Abençoarei aos que te abençoarem, e amaldiçoarei àquele que te amaldiçoar; e em ti serão benditas todas as famílias da terra. Partiu, pois Abrão, como o Senhor lhe ordenara, e Ló foi com ele. Tinha Abrão setenta e cinco anos quando saiu de Harã. Abrão levou consigo a Sarai, sua mulher, e a Ló, filho de seu irmão, e todos os bens que haviam adquirido, e as almas que lhes acresceram em Harã; e saíram afim de irem à terra de Canaã; e à terra de Canaã chegaram. Passou Abrão pela terra até o lugar de Siquém, até o carvalho de Moré. Nesse tempo estavam os cananeus na terra. Apareceu, porém, o Senhor a Abrão, e disse: À tua semente darei esta terra. Abrão, pois, edificou ali um altar ao Senhor, que lhe aparecera. Então passou dali para o monte ao oriente de Betel, e armou a sua tenda, ficando-lhe Betel ao ocidente, e Ai ao oriente; também ali edificou um altar ao Senhor, e invocou o nome do Senhor.”

O Senhor mostra que a identidade de pai não é procurar ilegitimidades, caminhos tortuosos, caminhos diferenciados da razão e da promessa. O Senhor mostra que há uma promessa que não pode ser equivocada, e, para que ela se cumpra, é preciso que uma identidade seja formada. E para isso é necessário ter uma família com uma promessa, ter confiança em quem faz a promessa, crer na unção de alegria.

1. TER UMA FAMÍLIA COM UMA PROMESSA

Costumo dizer que meu pai não nos deu muitos bens materiais, mas tinha características muito fortes. Ele era um contador de histórias e nos estimulava a pensar. Nasci em uma família de 12 filhos, e sempre agradeço à minha mãe por não ter me abortado, apesar da gestação muito difícil e do fato de já ter nove filhos. Outra característica muito forte de meu pai era nos deixar seguros pelo fato de sabermos de quem éramos filhos. Ele dizia: “Vá até tal lugar e faça tal coisa, e se alguém perguntar diga que você é filho de Terra Nova”. E foi assim que eu cresci, ouvindo as histórias de meu pai que me estimulavam a pensar e confiar que eu era filho de Terra Nova.

Quando alguém me olhava ‘atravessado’, dizia logo que era filho de Terra Nova, e ficava consciente de que nada me aconteceria. Louvo a Deus pelos ensinamentos de meu pai, pois hoje não tenho nenhuma dificuldade em compreender que Deus me deu um nome que carregarei para sempre, o nome de Yeshua Ha Mashiach.

Você precisa ter uma família com uma promessa, uma promessa que seja clara. Muitos não sabem de quem são filhos, não conhecem a história de seus pais e não têm intimidade com a família. A família não tem proposta, não se reúne para fazer uma programação, vive totalmente fora da proposta. A Bíblia nos ensina que, se quisermos viver em família, precisaremos conhecer a identidade dessa família. Deus deseja levantar uma família que não será equivocada em seus passos, uma família moldada nas promessas do Altíssimo para que nenhuma dessas promessas seja abortada.

Deus deu à família de Abrão a promessa de que seriam abençoados em tudo. No lugar em que colocassem as mãos haveria prosperidade. Essa família seria geradora de bênçãos. O mesmo pode acontecer conosco, basta crermos. “Abençoarei aos que te abençoarem, e amaldiçoarei àquele que te amaldiçoar; e em ti serão benditas todas as famílias da terra.” (Gênesis 12:3)

Continua...

Visualizações: 143

Plano de Leitura Bíblica

11 Nov
Esdras 7
Oseias 8
Atos 27
12 Nov
Esdras 8
Oseias 9
Atos 28
13 Nov
Esdras 9
Oseias 10
Colossenses 1
14 Nov
Esdras 10
Oseias 11
Neemias 1
15 Nov
Neemias 2
Oseias 12
Colossenses 3 e 4
16 Nov
Neemias 3
Oseias 13
I Tessalonicenses 1 e 2
17 Nov
Neemias 4
Oseias 14
I Tessalonicenses 3 e 4