“Sendo, pois, Abrão da idade de noventa e nove anos, apareceu o Senhor a Abrão, e disse-lhe: Eu sou o Deus Todo-Poderoso, anda em minha presença e sê perfeito.” (Gênesis 17:1)

“Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza.” (I Timóteo 4:12)

Deus firma Seus filhos no Reino por dois princípios: Aliança e Promessa. Então, sempre é tempo para Deus dizer: “Anda na Minha presença, sê perfeito”. Todo filho de Deus que tem promessa, que está em aliança e que caminha no propósito, está isento da morte. Se a promessa não se cumpriu, a morte não chega. E se você anda na presença de Deus, a aliança será ampliada.

Vamos refletir na história de Abraão. Como Deus chama um homem de 99 anos e diz: “Anda na minha presença e sê perfeito”? Deus poderia ter dito: “Continue andando na minha presença”, porque é impossível alguém andar na presença de Deus e não ser perfeito. A nossa imperfeição, na verdade, é a saída da rota, é a saída da presença de Deus.

Quando andamos na presença de Deus, as coisas tortuosas se endireitam. Aquela ferida é curada e aquele demônio bate em retirada, porque a ordem é a perfeição. A Bíblia diz que o homem é perfeito por aquilo que ele fala (Tiago 5). A perfeição de um homem está no discurso que ele profere. Então, a maneira como você fala denota se você é um indivíduo perfeito ou imperfeito. E quando falamos fora do tom, dizemos que não somos perfeitos. Mas quando você se surpreende com uma linguagem equilibrada, você diz que está amadurecendo.

A fé estabelece reinos

Servimos a um Deus inteligente. Se Deus tivesse dado todas as promessas para Abraão de uma só vez, onde elas estariam? Certamente sepultadas em Hebrom. Mas Deus disse que essa promessa é para multiplicar a descendência (Gálatas 4). Essa mesma semente reside dentro de nós.

Deus chamou Abraão para ser pai da fé. Mas para que fé? Para estabelecer reinos. Quando Deus derrama fé, é porque há um motivo específico. E a fé que Deus deu para Abraão foi para estabelecer reinos. A promessa foi: “De ti procederão novos reis”. Então, haveria novos reis para governarem novos reinos. Todos os descendentes de Abraão foram líderes de cidades e territórios.

A descendência construiu cidades e estabeleceu reinos. Então, essa fé é uma fé motivadora de conquista de cidades. E a fé de Abraão, que está em nós, é uma fé para conquistarmos cidades. A fé que Deus deu a Abraão foi para construir cidades. A nossa fé não é somente para ganhar um carro bonito. A fé do Reino é para ganhar cidades. Deus conta com você para ganhar a sua cidade. Ele crê em você para que haja mudanças na cidade.

Só vai ganhar a cidade quem a amar. E amar a cidade vai além do rio e da floresta. Amar a cidade é amar vidas. É pagar preço pelas pessoas, é orar, é jejuar, chamar à existência peso da glória.

A esse homem avançado em idade, chamado por Deus, Ele concedeu uma descendência numerosa, nações incontáveis. Pode nascer uma nação num só dia quando Deus diz amém. Creio que, em Manaus, Deus levantará novos líderes em todas as áreas. Se Deus fez uma promessa a Abraão, com 99 anos, por que você não pode receber uma promessa? O nosso conceito de líder tem de estar renovado a cada dia.

Para quem Deus faz uma promessa dessas? Não é para qualquer pessoa. Ele não liberaria uma palavra para um irresponsável nem para um preguiçoso. Deus só libera uma palavra dessas para quem tem a essência.

Deus trabalha a nossa essência

Deus quer encontrar-nos em lugares que Ele nos deixou. Isso significa que estamos doutrinados naquilo que Ele nos chamou, naquilo que Ele acreditou em nós, naquilo que Ele investiu em nós.

Deus só investe em alguém que é obstinado pelo propósito. Então, para Deus trabalhar em Abraão, nesse tempo todo, ele poderia ter começado a promessa falando para outras pessoas: “Já que você é novo, vou começar contigo uma aliança”. Não! Deus continuou com Abraão, porque encontrou um homem de essência estabelecida. Encontrou um homem inegociável, consumido pelo sonho, um homem ávido para que Deus realizasse os planos e projetos na vida dele.

Deus conhece quem tem disposição para Ele. Há pessoas do nosso convívio que serão levadas para as nações porque Deus tem promessas imensuráveis e ninguém rouba os sonhos de Deus. Primeiro cresce o líder e depois a Visão. Essa é a ordem da Visão Celular, porque do que adianta crescer a Visão com um líder ferido, lento, irresponsável, com motivações erradas? Todo líder vai amadurecer e conhecer qual é a sua vocação na Visão.

Chegou a hora da maturidade

Qual a importância do Mover Celular? Ele consolida uma Visão: M12, cuja base bíblica é I Timóteo 4:12. Você é um líder modelo. Modelo em quê? Na palavra, na fé, no procedimento, no amor e na pureza.

Todos olharão você na maneira de falar. Também observarão a maneira como você procede, a ação do seu amor com misericórdia e a transparência. Essa é a tônica do M12. Se você consegue ser modelo com os fiéis que andam com você, será aplaudido lá fora. Caso contrário, receberá vaias. As pessoas que convivem conosco precisam saber que somos modelo. Aonde você chegar, todos devem saber que você é regenerado, filho de Deus e que você tem uma unção que domina sua vida. Mas existem muitos reprovados com altos títulos... Deus mudará o caráter da nossa Nação.

Deus tem prazer em gerar multiplicação. Quem tem multidão tem honra dupla de multidão. O Senhor disse a Abraão: “Mesmo na idade avançada, Eu vou investir na tua vida. Eu te faço uma promessa. Anda na Minha presença. Sê perfeito. Eu mudarei teu nome e te chamarei pai de numerosa multidão”.

A mesma promessa que está em Yeshua está em nós. Seremos chamados filhos de Abraão, de Sara, e homens e mulheres de avivamento. Você, líder, mudará a história desta cidade.

Visualizações: 951

Plano de Leitura Bíblica

21 Out
2 Crônicas 14 e 15
Ezequiel 47
João 15 e 16
22 Out
2 Crônicas 16 e 17
Ezequiel 48
João 17 e 18
23 Out
2 Crônicas 18 e 19
Daniel 1
João 19
24 Out
2 Crônicas 20
Daniel 2
João 20 e 21
25 Out
2 Crônicas 21 e 22
Daniel 3
Atos 1
26 Out
2 Crônicas 23
Daniel 4
Atos 2
27 Out
2 Crônicas 24
Daniel 5
Atos 3 e 4