“Então me disse: Não temas, Daniel, porque desde o primeiro dia em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras; e eu vim por causa das tuas palavras. Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu vinte e um dias, e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia.” (Daniel 10:12,13)

Nossas orações chegam diante de Deus de imediato, pois são mensagens enviadas ao reino espiritual, mas isso também significa dizer que podem sofrer contra-ataques invisíveis espirituais. Na Bíblia, temos como exemplo a oração de Daniel que chegou imediatamente ao Trono de Deus, mas o anjo encarregado de trazer a resposta demorou 21 dias, impedido pelo príncipe da Pérsia, um espírito maligno que regia aquele país.

Existem principados que podem segurar uma oração por 21 dias, 21 meses, 21 anos. Isso não depende da força do principado, e, sim, da posição, da atitude de quem faz a oração. Daniel não soltou o posto até a bênção ser liberada. Porém, muitas vezes, nós abrimos mão facilmente da luta, e queremos andar por caminhos próprios para conseguirmos as coisas do nosso próprio jeito. Deus Se move por princípios. Se você quiser andar em rota própria, vai colher resultados desse caminho que escolheu, mas se quiser ver as coisas acontecendo na sua vida, precisa se mover pelos princípios de Deus, que são imutáveis.

Que sejamos como Daniel, perseverantes, até vermos cada uma de nossas orações respondidas. Que o tempo não seja um empecilho para nós, mas que estejamos, como Igreja de Cristo, firmados na Rocha, crendo que a bênção tal irá se manifestar.

A ORAÇÃO E SEUS EFEITOS
“Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis.” (Romanos 8:13)

Qual a oração que tem efeito? Digo que é aquela pela qual se chega adequadamente diante do Senhor. A pessoa deve ter o coração quebrantado, sincero e disposto, além da essência da fé. É aí que verificamos o quanto precisamos aprender a “morrer” diariamente para a nossa carne, nossas vontades.

Quanto mais morremos na carne, nas nossas vontades, no nosso “eu”, Deus começa a operar. Quanto mais perto de Deus você estiver, mais humilde ficará, porque verá o quanto Ele é Santo e você, pecador e necessitado dEle.

A oração que toca o coração de Deus é aquela na qual o homem se deixa morrer. Aquele que ama a Deus não vive na prática do pecado e, sim, para Deus, em santidade. A carne deve estar subjugada ao Espírito, pois para o cristão o Espírito é Senhor, e a carne é serva. Você não deve ser o que deseja sua carne, e, sim, o que o Espírito quer, pois deve subjugar a carne. É assim que se vence a carne: através do Espírito que nos vivifica.

A oração feita de joelhos é uma bênção porque é bíblica. Você pode orar deitado ou andando, de acordo com o momento e a situação. Quantas vezes precisamos treinar a nossa oração sem fazer barulho, estardalhaço, sem precisar que as pessoas nos notem, apenas orando em espírito, ligados em espírito. O importante é chegar diante de Deus com um motivo justificado, pois é caminho certo e seguro para se sair com uma resposta dEle.

Algumas pessoas oram por um propósito e, caso Deus lhes dê outra direção, não aceitam. Nunca sabemos se a resposta que Deus nos dará é a que queremos ouvir, mas devemos estar dispostos a obedecer. Houve uma época em que muitos se achavam no direito de mandar em Deus. Orava-se: “Eu reivindico os meus direitos...”; “Tu tens que fazer, porque a Tua Palavra diz...”; “Tu não podes mentir...”. Ore assim: “Senhor, porque a Tua palavra diz, e eu sou Teu filho, e tenho uma aliança Contigo, sei que o Senhor pode me dar todas as coisas”.

Temos que ter a certeza de que toda e qualquer situação poderá ser revertida pela oração. A oração do justo é poderosa nos seus resultados; é o que diz Tiago 5:16. Se você é justo e ora, o resultado será poderoso.

Uma pessoa pode receber a resposta que deseja lutando por essa resposta na força do próprio braço, e, ao consegui-la, descobrir que não era o melhor. Todavia, se sua causa for apresentada diante do Tribunal de Deus, deixe Ele decidir o que é melhor para a sua vida, ainda que você não entenda tal decisão.

Saiba que Deus não é surdo. Ele ouve suas orações e, no momento certo, responderá. “Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, E os seus ouvidos atentos às suas orações; mas o rosto do Senhor é contra os que fazem o mal.” (I Pedro 3:12). Lembre-se do que Jesus disse: “Pai, tu sempre me ouves”. (João 11:42)

Ninguém nunca vai se encher totalmente de oração, mas ela enche taças e taças diante de Deus. “E, havendo tomado o livro, os quatro animais e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos.” (Apocalipse 5:8). Na hora que você precisar, Ele mesmo derramará as respostas das taças de intercessões que foram colocadas diante do Seu Trono, daí você será poderosamente abençoado.

A ORAÇÃO NOS LIGA AO TRONO

A oração nos liga ao Trono e nos traz segurança, pois Deus tem prazer em respondê-la. Quanto mais ligados ao Trono, mais resposta temos de Deus. “Daniel, pois, quando soube que o edito estava assinado, entrou em sua casa (ora havia no seu quarto janelas abertas do lado de Jerusalém), e três vezes no dia se punha de joelhos, e orava, e dava graças diante do seu Deus, como também antes costumava fazer.” (Daniel 6:10)

A oração, além de abrir caminhos no sobrenatural, ensina-nos a ser verdadeiros. Certo dia, Davi encontrou-se numa situação em que seu conceito com Deus estava em baixa e, para o homem que foi considerado ‘segundo o coração de Deus’, faltou até destreza para orar. Ele ficou sem ação para buscar ao Senhor. Davi aprendeu a rota da adoração após perder muitos privilégios com Deus e só conseguiu obtê-los de volta, creditados em sua oração, quando se humilhou.

Verdade é que Deus ouve o coração quebrantado, ouve as nossas orações, quando nos colocamos na posição de filhos do Pai.

Visualizações: 1049

Plano de Leitura Bíblica

16 Abr
Números 35
Provérbios 26
João 8
17 Abr
Números 36
Provérbios 27
João 9 e 10
18 Abr
Deuteronômio 1
Provérbios 28
João 11
19 Abr
Deuteronômio 2
Provérbios 29
João 12
20 Abr
Deuteronômio 3
Provérbios 30
João 13 e 14
21 Abr
Deuteronômio 4
Provérbios 31
João 15 e 16
22 Abr
Deuteronômio 5
Eclesiastes 1
João 17 e 18