“... e durante um ano inteiro reuniram-se naquela igreja e instruíram muita gente; e em Antioquia os discípulos pela primeira vez foram chamados cristãos.” (Atos 11:26)

O poder do discipulado é tão tremendo por causa do acompanhamento, que o fruto e a vida de testemunho se tornam semelhantes à do líder que é seguido. Foi assim com os discípulos de Jesus. E mesmo em nosso contexto atual, não precisamos de um referencial melhor que Jesus para tornar o nosso discipulado eficaz. O retorno ao discipulado dinâmico e bíblico é o grito de Deus para estes dias, o que nos resta é a obediência para que a volta do Messias seja agilizada. Você está disposto a responder a este desafio?

O discipulado é o método mais antigo da Bíblia para orientação de acompanhamento e serve de modelo para toda a Igreja, visto que a Igreja de Jesus é uma das instituições mais antigas do Planeta e nunca sofreu solução de continuidade. Deus tem o MODELO para a Igreja. O discipulado é a metodologia mais eficaz e antiga do Universo.

A Igreja que trabalha com discipulado reduz riscos, contaminações, desequilíbrios e muitos outros males. A comunhão e edificação são tão profundas que há denúncias de mau caratismo e, ao mesmo tempo, tem chamada à responsabilidade. Esse é o melhor MODELO para trabalhar, pois tudo vem à luz (Daniel 2:20).

O ÊXITO DE JESUS NO DISCIPULADO

O êxito de Jesus no discipulado estava no caráter do Mestre e na influência na vida dos discípulos. A Equipe de Jesus era tão modelada, que eles eram chamados de ‘cristãos’, como descrito em Atos 11:26.

Jesus tinha 12 discípulos e contava com eles. O modelo dos 12 possibilitava o equilíbrio de organização. Sabemos que Jesus investiu tempo com eles para fazê-los vencedores e influenciar gerações. É uma revelação considerável e responsável. No discipulado, nem todos fazem parte dos 12, mas todos que são 12 são discípulos (João 6:66-67).

Hoje, a nossa geração vive um dos momentos mais revolucionários de todos os tempos. Velhos modelos que se mostraram ineficazes estão sendo removidos para dar lugar ao Modelo proposto por Deus: DISCIPULADO. Por isso, é importante tomar algumas atitudes como:

MANTER A PROPOSTA INICIAL

A Reforma Protestante trouxe a introdução de grandes mudanças que proporcionaram benefícios por uma parte, mas também deixaram muito a desejar, pois a obra inicial foi negociada e não sustentada durante o processo histórico, no que se refere a toda proposta inicial.
A proposta, no inicio era devolver a Igreja ao cristianismo genuíno, saindo dos conselhos de Roma e voltando para a visão de Jerusalém. Infelizmente, a visão política da Igreja foi contaminada pela proposta romana, e saiu do propósito, vivendo os seus próprios interesses e não o interesse do Pai.

BUSCAR UMA NOVA MENTALIDADE

Nesse processo, a Igreja manteve os seus remanescentes, que persistiram na visão, que não se renderiam aos altares levantados, que continuariam fazendo exatamente o que era justo diante do Senhor.

A mentalidade da Igreja começou a ganhar um novo espaço: a Igreja se tornou mais reflexiva e, com muita maturidade, não menosprezou o que o Senhor havia confiado às suas mãos. Hoje, caminhamos na viva convicção de que algo mudou, e nós, com certeza, por essa proposta, conquistaremos novos territórios.

VENCER AS TRADIÇÕES HUMANAS

A única forma de restaurar os sonhos de Deus para a Sua igreja é vencer as tradições humanas. Podemos notar claramente que os reformistas estão surgindo com uma outra unção: o desejo vivo de restaurar a História da Igreja e do povo sofrido; de trazer uma nova reflexão, e de não se render às propostas de uma tradição crônica e infrutífera, que tem matado o avanço da Igreja em nome de uma ética e de uma fidelidade para as quais não existe nenhum respaldo bíblico.

Um dia o Senhor disse: “Por causa das vossas tradições transgredis as leis de Deus.” (Mateus 15:6). O DISCIPULADO é a resposta ao grito da Igreja que, por passar por tantos processos traumáticos, se via sem uma alternativa. Mas agora, a nossa posição é outra no contexto de mudança: sabemos o que queremos e avançaremos com outra qualidade de vida.

Deus tem elegido a nossa geração para reescrever a História da Igreja. Por isso, a nossa responsabilidade se amplia. Vamos não apenas mudar o discurso, mas, buscar forças do alto, para que possamos estrategicamente vencer todas as intempéries que surgem contra a Igreja.

Cada discípulo é um discípulo reformista. Vamos fazer a parte que nos cabe sem nos rendermos a esse sistema desnorteador e infrutífero. Vamos empenhar-nos no papel de um discípulo que sabe fazer o que o Mestre manda: gerar outros discípulos.

É tempo de Reforma! A Reforma apenas começou e esta obra que Jesus começou será aperfeiçoada até o dia de Cristo Jesus. “O Espírito do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a apregoar liberdade aos cativos, a dar vista aos cegos, a por em liberdade os oprimidos, a anunciar o ano aceitável do Senhor.” (Isaías 61:1-3, Lucas 4:18-19)

Prepare-se para ampliar o lugar da sua tenda e estender as cortinas da sua habitação. É hora de firmar as estacas e transbordar para a direita e a esquerda (Isaías 54:2). Entenda a proposta do DISCIPULADO e caminhe firmemente no propósito. Você foi chamado para ocupar o lugar para o qual Jesus Cristo o chamou. Tudo tem um porquê bíblico.

Continuar...

Visualizações: 532

Plano de Leitura Bíblica

15 Out
2 Crônicas 5 e 6
Ezequiel 41
João 7
16 Out
2 Crônicas 7
Ezequiel 42
João 8
17 Out
2 Crônicas 8
Ezequiel 43
João 9 e 10
18 Out
2 Crônicas 9
Ezequiel 44
João 11
19 Out
2 Crônicas 10 e 11
Ezequiel 45
João 12
20 Out
2 Crônicas 12 e 13
Ezequiel 46
João 13 e 14
21 Out
2 Crônicas 14 e 15
Ezequiel 47
João 15 e 16