“Ou qual é o rei que, indo à guerra a pelejar contra outro rei, não se assenta primeiro a tomar conselho sobre se com dez mil pode sair ao encontro do que vem contra ele com vinte mil? De outra maneira, estando o outro ainda longe, manda embaixadores, e pede condições de paz.” (Lucas 14:31,32)

Deus quer arrancar do meio da Igreja todo o espírito de medo ou covardia para trazer, da parte dEle, um novo encorajamento rumo a desafios novos, pois quando somos desafiados a uma vida de conquistas mais intensas, estamos aptos para que, de forma bíblica, alcancemos a bênção que o Senhor tem preparado, tanto individual quanto coletivamente.

Agora, precisamos ter consciência que dura coisa para o homem é entrar numa guerra sem conhecer as armas do inimigo. O próprio Jesus, em Lucas 14:31,32, fala sobre isso. Observamos que todo homem deve entrar em uma guerra devidamente preparado ou dar uma trégua para que não seja apanhado de surpresa. Vergonhoso é para o homem tanto ir quanto levar sua equipe para o campo de batalha se suas armas não forem adequadas.

Nestes dias, mais que nunca, vamos usar uma arma poderosa que é a ORAÇÃO para vencer. Munidos de oração, entraremos no campo de batalha preparados e sem subestimar as forças do inimigo. Essa é uma das formas de vencermos durante o processo da batalha. Não ficaremos alheios acerca da batalha no mundo espiritual, pois temos sido ensinados sobre como enviar mensagens para o reino do espírito de forma responsável, bíblica e fundamentalmente teológica.

Gostaria de alertá-lo que o mundo espiritual é tão real quanto o mundo físico. Em alguns casos, o mundo espiritual é mais real que o físico, notadamente, para aqueles que já entenderam a dimensão da guerra espiritual. Todo líder que é conhecedor das promessas sagradas precisa ter mais intimidade e conhecimento sobre ORAÇÃO. Assim, muitas brechas serão fechadas em nossos ministérios e o preparo espiritual de nossas equipes galgará novas dimensões.

Vamos tomar posição! Não permitiremos que o jugo do diabo fique sobre nós, mas tomaremos posse da palavra profética: “...Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim que sou manso e humilde de coração e encontrareis descanso para as vossas almas.” (Mateus 11:29)

FECHANDO AS BRECHAS
“E busquei dentre eles um homem que estivesse tapando o muro, e estivesse na brecha perante mim por esta terra, para que eu não a destruísse; porém a ninguém achei.” (Ezequiel 22:30)

Fechar as brechas deve ser uma preocupação do nosso coração, pois representa fechar as fronteiras, tapar as brechas e aparar as arestas, porque Satanás busca oportunidades para minar, por intermédio de demônios, tanto nossa vida pessoal quanto familiar e espiritual.

Se conhecermos a potencialidade da cobertura espiritual, impediremos que o diabo entre em nossas fronteiras, migre pelas brechas ou assalte pelas arestas. A Oração e os Atos Proféticos são uma ferramenta de Deus para impedir que sejamos apanhados de surpresa. Na verdade, é uma chamada de Deus para não permitirmos que o diabo adentre no nosso arraial.

Por muito tempo estive meditando como faríamos para melhorar a atuação da Igreja na conquista de territórios e impedir tantos contra-ataques que assolam o nosso povo. A resposta veio com o rhema espiritual: Feche as brechas através da Oração e dos Atos Proféticos. Hoje, compreendendo melhor os ataques que sofremos, somos desafiados ao aprofundamento do assunto, que é inesgotável.

Creio que teremos experiências riquíssimas com Deus no campo de batalha espiritual, que contribuirão para o crescimento do Corpo de Cristo. Hoje me sinto muito mais responsável em treinar um grande exército que, de forma organizada, não se distraia no meio da batalha. É como a voz de comando de Joel 2 que relata desde o toque da trombeta até a conquista do território, com ordens específicas e um compêndio organizadíssimo de como vencermos uma batalha.

A Bíblia, de Gênesis a Apocalipse, nos ensina e estimula a orar e exercer a nossa fé. Conhecendo a profundidade da Palavra de Deus, vemos que o Senhor nos instrui não apenas a orar, mas também a fazer Atos Proféticos, que são estabelecidos por decretos e ações que, no mundo espiritual, são fatores determinantes para a posse de novos territórios.

Cada indivíduo que conhece a Palavra de Deus não deve subestimar as questões espirituais e o ensino claro das Escrituras. Nossa postura pode emitir mensagem no mundo espiritual, imobilizando a atuação do diabo e desatando a ação da Igreja.

Eu e você, assim como todos aqueles que querem exercitar com responsabilidade a fé, precisamos crer que há um espaço de tempo que precisa ser considerado.

Satanás não está aposentado nem arrefeceu os seus projetos, por isso a Igreja precisa conhecer a potencialidade da Cruz do Calvário e os ensinos ministrados por Jesus para descobrir onde estão todas as soluções para obter a vitória. A morte e a ressurreição de Cristo são o remédio para toda a humanidade, porém o próprio Messias, antes de Sua morte e ressurreição, ensinou a Igreja como se defender dos ataques do diabo.

Que possamos descortinar os princípios de fé que nos farão compreender com mais sensibilidade o que Deus quer exatamente de cada um de nós. Não se intimide! Avance! Otimize sua fé e saiba quem, de fato, você é, pois, pelo plano da Redenção, somos maiores do que pensamos e podemos muito mais do que imaginamos.

Visualizações: 1697

Plano de Leitura Bíblica

16 Jul
1 Samuel 31
Jeremias 6
Mateus 17
17 Jul
2 Samuel 1
Jeremias 7
Mateus 18
18 Jul
2 Samuel 2
Jeremias 8
Mateus 19
19 Jul
2 Samuel 3
Jeremias 9
Mateus 20
20 Jul
2 Samuel 4 e 5
Jeremias 10
Mateus 21
21 Jul
2 Samuel 6
Jeremias 11
Mateus 22
22 Jul
2 Samuel 7
Jeremias 12
Mateus 23