“E, indo, pregai, dizendo: É chegado o reino dos céus. Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai. Não possuais ouro, nem prata, nem cobre, em vossos cintos, nem alforjes para o caminho, nem duas túnicas, nem alparcas, nem bordões; porque digno é o operário do seu alimento. E, em qualquer cidade ou aldeia em que entrardes, procurai saber quem nela seja digno, e hospedai-vos aí, até que vos retireis. E, quando entrardes nalguma casa, saudai-a; e, se a casa for digna, desça sobre ela a vossa paz; mas, se não for digna, torne para vós a vossa paz. E, se ninguém vos receber, nem escutar as vossas palavras, saindo daquela casa ou cidade, sacudi o pó dos vossos pés. Em verdade vos digo que, no dia do juízo, haverá menos rigor para o país de Sodoma e Gomorra do que para aquela cidade.” (Mateus 10:7-15)

A Palavra de Deus nos chama a viver o Evangelho do Reino de Deus como ele é. O Evangelho tem cura de enfermos, limpeza de lepras (no que diz respeito a mazelas que carregamos, ressurreição de vida e sonhos, libertação, graça, mas não uma graça irresponsável, porque Jesus pagou um alto preço por nós.

O que vemos hoje é muitas pessoas que vêm para a Igreja manchadas pelo pecado e continuam sem receber vestes limpas. Ora, o que está errado? Se não é o Evangelho, são as pessoas. E nós, enquanto líderes temos o compromisso de ser modelo e de socorrer aqueles que chegam no aprisco.

Temos que ser do Evangelho pelo Evangelho, buscando a referência bíblica e colocando sempre a nossa vida e a nossa casa em ordem, na ordem que Jesus declarou. Por exemplo, Jesus disse que se ao entrarmos em uma casa, essa casa for digna de receber a paz, deixe a paz na casa, mas se não for digna, traga a paz consigo. Essa tem que ser uma doutrina viva para nós e entre nós.

JESUS, O SENHOR DA SUA CASA

Evangelizar não é e continuará não sendo uma tarefa fácil. E, no futuro, segundo Jesus, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará (Mateus 24:12), mas, ainda assim, temos que fazer a nossa parte, pois a ordem de Jesus do ‘Ide’ de casa em casa anunciar o Evangelho do Reino de Deus continua viva. Essa ordem não prescreveu nem caducou.

O alvo de Jesus é continuar sendo Senhor dos lares e, para Ele entrar nas casas, precisa haver libertação, cura e restauração, que são portas de entrada para a evangelização, acompanhadas de milagres, como todos nós sabemos.

Onde existem milagres, as portas se abrem. Vemos isso claramente através de inúmeros exemplos citados nos Evangelhos de Mateus até João, mas não apenas nos Evangelhos, através da vida de Pedro e Paulo também comprovamos essa verdade. Citando apenas um desses exemplos, podemos olhar para a vida do Gadareno. O fato de ele ter sido liberto fez com que muitas casas, famílias e 10 cidades se abrissem para o Evangelho. Tudo isso proveniente de uma única libertação. Essas cidades eram presas por influências pagãs e amarradas pelo principado de Roma.

Uma vida se abrir para Jesus é um impacto; uma família se abrir para Jesus é um êxito; uma cidade se abrir para Jesus é um milagre. O poder de uma libertação gera muitos milagres nas nossas geografias.

Precisamos entrar em casas de endemoninhados, enfermos e pessoas que estão nas suas crises diversas, e depois dos céus limpos naquela geografia, a colheita será poderosa. Porém, as casas dos líderes precisam ser uma referência para que o inimigo não ganhe vantagem nem milite com acusações.

Quando acontece uma libertação legítima, as portas das casas se abrem, as pessoas querem ver esses sinais nos territórios que militam. A presença de Deus precisa ser real em cada casa, em cada espaço geográfico que chegamos.

Tenho crido que, da parte de Deus, está vindo um mover novo. Cada bairro sendo estrategicamente estudado e conquistado vencerá o homem forte naquele território. Não é fácil fazer uma limpeza, mas por onde vamos começar essa conquista? Pelas casas!

O PODER DE UMA LIBERTAÇÃO

1. A libertação muda o histórico pessoal;

2. A libertação muda o histórico da família;

3. A libertação muda o histórico da geografia e abre lugares novos para serem evangelizados.

Foi assim na vida do homem de Gadara. Entre as 10 cidades originais próximas de Gadara (Decápolis), houve uma grande mudança por causa da libertação dele: Damasco, Filadélfia, Rafana, Citópolis, Gadara, Hipo (Hipos), Díom, Pela, Galasa (Gerasa) e Canata. Isso porque quando os demônios são removidos da geografia, Jesus salva todo o território.

Quando o Evangelho vai de casa em casa, acontece algo muito interessante nesse processo, pois além de estarmos debaixo de uma obediência, da ordem de Jesus, essa legitimidade nos dará capacidade de exercermos o novo e trazermos as vidas para Ele.

Os 12 receberam a estratégia de ir de casa em casa para que tivessem uma bússola de como chegar até o objetivo. Sempre as ordens de Jesus trarão uma autoridade autenticada no mundo espiritual. Se nos movermos nessa direção, com certeza lograremos êxito e consolidaremos territórios.

A ordem que foi estabelecida precisa ser cumprida. Se Jesus nos emitiu um decreto, Ele sabe que o resultado será acima das nossas expectativas. A ordem é: De casa em casa. O resultado da nossa obediência a este mandamento é uma colheita extravagante e nossas geografias possuídas da presença do Eterno.

Continua...

Visualizações: 6952

Plano de Leitura Bíblica

24 Dez
Jó 33
Zacarias 9
Apocalipse
7 a 9
25 Dez
Jó 34
Zacarias 10
Apocalipse
10 e 11
26 Dez
Jó 35 e 36
Zacarias 11
Apocalipse
12 e 13
27 Dez
Jó 37
Zacarias 12
Apocalipse 14
28 Dez
Jó 38
Zacarias 13 e 14
Apocalipse
15 e 16
29 Dez
Jó 39
Malaquias 1
Apocalipse
17 e 18
30 Dez
Jó 40
Malaquias 2
Apocalipse
19 e 20