“Preparai a guerra, suscitai os valentes. Cheguem-se todos os homens de guerra, subam eles todos.” (Joel 3:9)

O homem de Deus deve ser um valente conquistador. E para isso, tem que treinar a sua capacidade de depender do Senhor em tudo, permitindo que a sua alma seja próspera. A Bíblia diz que assim como pensa o homem, assim é a sua alma (Provérbios 23:7).

Gideão tinha um exército numeroso, mas não foi a maioria que venceu o adversário, foram vencedores apenas os valentes, os que creram e obedeceram. Se a maioria tivesse acreditado em Gideão ele conquistaria muito mais, porém o Senhor ungiu 300 valentes que conquistaram poderosamente os midianitas.

“Disse ainda o Senhor a Gideão: Com estes trezentos homens que lamberam a água vos livrarei, e entregarei os midianitas na tua mão; mas, quanto ao resto do povo, volte cada um ao seu lugar.” (Juízes 7:7)

Davi também tinha os seus valentes em sua equipe: homens de guerra, adestrados para tomar cidades e fortalezas (I Crônicas 11:10-12). Hoje Deus convoca os Seus valentes, não mais para uma guerra física, pois a nossa luta não é contra carne e sangue, mas contra principados e potestades, contra as hostes espirituais da maldade deste mundo tenebroso (Efésios 6:12).

Gostaria de elucidar algumas características de um valente conquistador, tomando como exemplo o Rei Davi, um homem usado por Deus para restaurar Jerusalém.

Quem foi Davi

1. Homem segundo o coração de Deus

Davi resolveu ser um homem segundo o coração de Deus. Ele foi provado, mas o Senhor o aprovou e lhe entregou os reinos da terra. Tornou-se um valente valoroso, conquistou todos os seus territórios.

Hoje, muitas pessoas querem conquistar interessadas no fortalecimento do seu reino particular, esquecendo os compromissos firmados, não andando na luz, estando fora do conselho do justo, contaminando-se com feitiçarias que são abomináveis aos olhos do Senhor. Porém, Deus levantará homens, nesta geração, segundo o Seu coração, para conduzir o nosso povo com um cajado seguro.

2. Homem segundo o propósito de Deus

“Conduziu-me para um lugar espaçoso; livrou-me, porque tinha prazer em mim.” (II Samuel 22:20). O propósito de Deus deverá cumprir-se, ainda que alguns não concordem. Deus é soberano o suficiente, em todas as coisas, para mover o quê e quem ele quiser. Ele pode mover o coração do rei tanto para a direita, quanto para a esquerda. Ele pode transformar maldição em bênção e extrair das trevas a luz.

“Disse Daniel: Seja bendito o nome de Deus para todo o sempre, porque são dele a sabedoria e a força. Ele muda os tempos e as estações; ele remove os reis e estabelece os reis; é ele quem dá a sabedoria aos sábios e o entendimento aos entendidos. Ele revela o profundo e o escondido; conhece o que está em trevas, e com ele mora a luz.” (Daniel 2:20-23)

3. Homem segundo a vontade integral do Senhor

Deus deu a Davi a capacidade de escolha. Ele poderia ser um rei que legislasse em causa própria. No entanto, Deus ministrou ao seu coração uma consciência profunda de ser exatamente o que Ele queria que Davi fosse. Hoje, dentro da história secular e hebraica, Davi é considerado um dos reis mais bem sucedidos de todos os tempos e o seu nome é sinônimo de adorador e restaurador.

O ofício de administrar não é fácil, pois não é preferência, é vocação. Se não houver vocação, vem a corrupção. Davi fez a vontade integral do Senhor; tornou-se um valente de Deus e, nessa consciência política monárquica, fez o resgate do povo, dos reinos e do crédito profético (Salmos 18:17,18, 43, 50).

Nessa consciência, como um valente de Deus, Davi recebeu a unção de restauração, e tudo aquilo que estava quebrado no seu reino foi restaurado: a família, o reino, a adoração, a consciência política para sair do reino da guerra e entrar no reino da paz.

O reino de Davi foi de guerra; o reino de Salomão, de paz entre os povos. O nosso desejo é que o Senhor nos faça valentes para termos grandes conquistas no plano espiritual e vencermos todas as forças opositoras das regiões celestiais. Como valentes de Deus, vamos caminhar com uma mão na obra e outra na arma.

“Os que estavam edificando o muro, e os carregadores que levavam as cargas, cada um com uma das mãos fazia a obra e com a outra segurava a sua arma.” (Neemias 4:17). É tempo de tomarmos nossa arma, a espada, que é a Palavra de Deus confessada com convicção. Se estivermos convencidos, convenceremos.

“É melhor obedecer do que sacrificar.” (I Samuel 15:22). O nosso povo está há décadas debaixo de um jugo. Se você respeita a si mesmo, a sua família e a sua geração, busque a Deus para que Ele fale ao seu coração.

Todas essas características, que estão na Palavra, apontam para que você saiba que o Senhor faz acima do que pedimos e pensamos quando somos os valentes de Deus. “Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera, a esse seja glória na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre. Amém.” (Efésios 3:20,21)

Visualizações: 823

Plano de Leitura Bíblica

24 Dez
Jó 33
Zacarias 9
Apocalipse
7 a 9
25 Dez
Jó 34
Zacarias 10
Apocalipse
10 e 11
26 Dez
Jó 35 e 36
Zacarias 11
Apocalipse
12 e 13
27 Dez
Jó 37
Zacarias 12
Apocalipse 14
28 Dez
Jó 38
Zacarias 13 e 14
Apocalipse
15 e 16
29 Dez
Jó 39
Malaquias 1
Apocalipse
17 e 18
30 Dez
Jó 40
Malaquias 2
Apocalipse
19 e 20