“Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.”(1 Timóteo 6:10)

Altomir Rangel trouxe algumas reflexões sobre assuntos que ainda são tabus dentro de algumas Igrejas: Dinheiro, riqueza, prosperidade.

Ele lembrou que todos nós somos formados pela tríade: alma, espírito e corpo e que Jesus nos ensinou a lidar com essas três instancias, inclusive com o mundo material.

Disse que de onde Jesus veio, o céu, prosperidade e riqueza são bens comum, lá todo mundo é rico e que o relacionamento que temos com o dinheiro no mundo material pode atrapalhar, inclusive, o futuro nas outras gerações.

Jesus também nos ensinou que preparação mais oportunidade é igual a sucesso, como no caso da viúva para quem Ele perguntou se ela tinha apenas um pouquinho de azeite. “O que você tem, às vezes parece ser nada, mas é o que Deus vai usar para trazer multiplicação”.

Outra lição aprendida com a mesma viúva é a de que precisamos cultivar relacionamentos saudáveis. “Quando você promove conciliação, a palavra branda desvai o furor. A viúva tinha relacionamento, por isso conseguiu várias vasilhas... e se a pessoa de quem você não gosta se tornar o seu chefe, ou for a única que pode resolver uma situação importante? Devemos criar pontes”.

Altomir ensinou ainda que se conectar com o céu é trazer à realidade a vida vindoura, é se conectar com o futuro e que devemos estar atentos, pois o dinheiro amplia quem somos hoje: Bons ou maus administradores de finanças, dizimistas fiéis ou infiéis, por exemplo.

Para finalizar, ele lembrou de Gênesis e disse que Deus deu ao homem o poder para administrar, sujeitar. Nós fomos desenhados para querer algo melhor, mas, muitas vezes, religiosamente, não aceitamos. Porém, Deus nos ensina que “o amor ao dinheiro é a raiz de toda espécie de mal” e nos instrui que devemos ter um relacionamento de amor apenas com Ele e com os irmãos.

Visualizações: 275