O que seria da vida sem luz? O que seria da luz se não houvesse o que iluminar? A iluminação e a vida são partes que formam o todo. Seja ela no palco da vida, ou nas plataformas aparatosas.

O Congresso Internacional de Resgate da Nação garante um espetáculo à parte quando o assunto é iluminação. Uma mega estrutura já está preparada para garantir a oxigenação nos efeitos de cada Ato Profético. A iluminação é parte da arte cênica e, segundo o gaúcho Anderson Zang, responsável pela iluminação, a luz é uma parte da alma do espetáculo. Ele afirma que a luz, na hora certa e na cena certa, faz o “fogo” parecer mais “fogo”, por exemplo.

O Congresso apresenta, no palco do Útero da Nação, uma contemplação e desenvolve um conteúdo artístico que gera vida e chama o público para atuar. A plateia não percebe, mas cada mudança do foco de luz proporciona uma emoção à parte e a cognição sabe “ler” e sabe valorizar o papel da iluminação em um espetáculo. Anderson Gazan está na sua 4ª edição servindo no Congresso e afirma que “a iluminação será um espetáculo que ninguém sabe de onde vem, mas que faz diferença se não estiver lá”.

Visualizações: 710