“Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós.” (I Coríntios 5:7)

A Páscoa está chegando! Começou tudo de novo! É sempre a mesma coisa: Milhares e milhares de toneladas de chocolate em toda parte: nas lojas, nos supermercados, nas drogarias, nos mercadinhos... tudo fica cheio de ovos de páscoa pendurados; é difícil até de caminhar. Sábado, à tarde, aquela correria. Compra-se de tudo, até ovos amassados.

. Mas, a Páscoa é isso?

. Qual o verdadeiro significado da Páscoa?

. Será que nós sabemos, mesmo, qual é o verdadeiro significado da Páscoa?

Nada contra o chocolate, todos nós comemos uns chocolates de vez em quando, não é verdade?! Quem não gosta de um chocolate?! Mas é preciso lembrar que a verdade maravilhosa da Páscoa anda escondida, oculta, por outdoors, cartazes, propagandas na televisão, etc.

Talvez, em tudo isso, possamos pensar que há uma atuação maligna para diminuir em importância um evento tão importante, ou não nos deixar ver o que a Páscoa está na Cruz do Calvário.

O termo Páscoa vem da palavra hebraica pesah, que significa passar por cima – no sentido de relevar, pular além da marca ou passar sobre. 

A primeira Páscoa está escrita no livro de Êxodo, no capítulo 12, e aconteceu há muito, muito tempo atrás, quando o povo de Deus, o povo de Israel, era escravo num país que se chamava Egito. O povo de Deus chorava muito e implorava a Deus para que mandasse um libertador que os livrasse das mãos de Faraó.

Ninguém gosta de ser escravo, não é verdade? Por isso eles clamavam muito a Deus para serem libertos daquela escravidão. Deus amava muito o Seu povo e ouviu o seu clamor. Então, mandou Moisés para que os tirasse da escravidão do Egito. Moisés foi conversar com Faraó para deixar o povo ir, mas Faraó era muito mau e não deixou o povo sair.

Então, Deus mandou 10 pragas para o Egito. O que é praga? Pragas são coisas ruins, que nos fazem mal.

Vejam só as pragas que Deus mandou sobre o povo do Egito: As águas se tornaram sangue; rãs; piolhos, moscas; doenças; sarna; saraiva com fogo; gafanhotos; trevas; e a morte dos primogênitos. Deus mandou essas pragas, porque Faraó não quis obedecer a Deus quando Moisés ia falar com ele. E a última praga foi a pior,  a morte de todos os primogênitos do Egito.

Você sabe o que é primogênito? Primogênito é o filho mais velho, o que nasce primeiro; o primeiro filho que nasce numa casa!

Embora os hebreus vivessem no Egito, Deus não permitiu que essas pragas viessem sobre eles também. Mas como o anjo da morte ia saber quais eram as casas dos egípcios e as dos hebreus?

Deus deu a solução: Todos que eram povo de Deus tinham que fazer uma coisa especial. Tinham que pegar um cordeirinho novinho, bem limpinho, sem defeito, de um ano. Poderia ser um cordeiro ou um cabritinho, e quando chegasse à tarde do dia que Deus mandou, todos tinham que matar o cordeiro e pegar o sangue dele e passar nos umbrais das portas; em cima e dos lados. E naquela noite tinham que comer também uma comida especial, feita de um jeito especial. Era a carne do cordeiro, com pães sem fermente e com ervas amargas.

E quando o anjo do Senhor passou para matar os filhos mais velhos, ele passava longe das portas que tinham o sangue do cordeiro que eram as portas do povo de Israel, o povo de Deus. E todos os filhos primogênitos do Egito morreram, até o filho de Faraó!

Faraó então mandou chamar Moisés e finalmente deixou o povo ir embora, livre. O que os salvou aquela noite foi o sangue do cordeiro em suas portas. Essa foi a primeira Páscoa.

Então, Páscoa não tem ovo, nem coelho, nem chocolate. A verdadeira Páscoa tem cordeiro, tem pão sem fermento e tem ervas amargas. Não é assim que está escrito na Palavra? E é só isso? Não, tem mais. Aguardo você no próximo estudo.

 

Visualizações: 12304

Plano de Leitura Bíblica

25 Dez
Jó 34
Zacarias 10
Apocalipse 10 e 11
26 Dez
Jó 35 e 36
Zacarias 11
Apocalipse 12 e 13
27 Dez
Jó 37
Zacarias 12
Apocalipse 14
28 Dez
Jó 38
Zacarias 13 e 14
Apocalipse 15 e 16
29 Dez
Jó 39
Malaquias 1
Apocalipse 17 e 18
30 Dez
Jó 40
Malaquias 2
Apocalipse 19 e 20
31 Dez
Jó 41 e 42
Malaquias 3 e 4
Apocalipse 21 e 22