“Um ao outro ajudou e ao seu companheiro disse: Esforça- te!”. (Isaías 46:1)

Nenhum líder conquista sem relacionamento. A Bíblia diz, no texto de Isaías 46:1, que um e outro precisam se ajudar, exatamente como acontece no discipulado. Contudo, o que temos visto é que muitos enfrentam dificuldades para se relacionar. Alguns até pensam: Como se relacionar em um mundo tão carente de envolvimento? De forma simples: relacionando-se.

Como filhos de Deus e líderes de avivamento, precisamos nos relacionar sem medo, mas sendo cautelosos, precisamos nos relacionar sem esperar retorno, pois nem sempre o outro vai corresponder de forma favorável. Entretanto, o relacionamento é a ferramenta que nos leva ao êxito e gera unidade por onde passamos, seja no Reino de Deus ou no meio secular.

Quando firmamos relacionamento, isso representa que estamos nos aliançando com aqueles que, no decorrer da caminhada, são fiéis, pois relacionamento é um presente que recebemos do Pai. E quanto mais firmamos alianças, mais nossos relacionamentos são fortalecidos.

COMO SE RELACIONAR NO MUNDO DE HOJE

Em um mundo onde as pessoas buscam ser iguais, obedecendo a ditadura da beleza imposta pela mídia, você, líder, tem que ser a diferença e fazer a diferença. No discipulado, busque se relacionar com todos e intensifique seu relacionamento com aqueles que decidiram fugir do padrão do mundo e viver o padrão de Deus, os Princípios Bíblicos estabelecidos na Palavra.

Discípulos comprometidos são aqueles que realmente fazem diferença por onde passam, porque são diferentes. Eles possuem pensamentos e sonhos como os nossos, mas não são pensamentos comuns, são pensamentos do Trono de Deus, e juntos alcançamos o sobrenatural.

No discipulado, o diferencial no relacionamento é estar sempre aberto a ajudar o outro, como nos ensina a Palavra. E essa ajuda não deve esperar algo em troca, a não ser a recompensa do Eterno, porque nEle nosso trabalho não é vão.

É preciso ainda estar consciente de que relacionamento é trabalhoso, apesar de ser prazeroso, e que o mais importante é poder desfrutar a companhia de outrem, vivendo a comunhão que a Palavra nos ensina. “Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união.” (Salmo 133:1)

A sociedade se isola cada vez mais, apesar de necessitar ser ajudada. A dura realidade mostra relacionamentos se esfriando entre marido e mulher, pais e filhos, filhos e pais, amizades sendo desfeitas... Chega até a causar desespero em muitos que não conhecem a Bíblia, que diz que nos últimos dias o amor se esfriaria de quase todos.

ESTENDER A MÃO

Líderes inteligentes que se relacionam estão sempre prontos a estender a mão a todos que necessitam e aos quais têm a oportunidade de abençoar com aquilo que Deus entregou em suas mãos. Não existe relacionamento sem o estender a mão.

O estender a mão, é mais do que uma palavra amiga, um conselho, o colo, é também entregar aquilo que você tem em finanças, roupas, sapatos... é compartilhar. E não apenas aquilo que não sobra a você, mas o que o outro precisa.

Quando compartilhamos, recebemos em dobro ou em triplo. É bíblico: É dando que se recebe. Quando estendemos a mão, estamos dando ao outro a ajuda que ele precisa e cumprindo o princípio relacionado ao ministério de socorro, ao ministério de misericórdia que o nosso Mestre Jesus cumpriu tão bem. E como sabemos que os discípulos vão reproduzir o que fazemos, se fizermos o bem, eles nos copiarão e farão o bem a outros.

Às vezes, por vergonha, deixamos de fazer aquilo que está em nossas mãos, tememos como o outro vai receber, pensamos sobre o que as pessoas vão falar de nós. Mas o prazer de se sentir bem por ter feito a coisa certa supera tudo isso. Estender a mão é cumprir parte do projeto que Deus tem para nós, que é dar suporte, ministrar amor e esperança às pessoas.

Dentro dessa via de mão dupla no relacionamento, que é estender a mão, somos convocados a promover mudanças. Primeiro, em nós mesmos, pois precisamos estar dispostos a ajudar, a socorrer. Depois, promover mudanças na vida daqueles que recebem nosso auxílio e que são, por nós, abençoados.

BENEFÍCIOS NO RELACIONAMENTO

1. BÊNÇÃO

Quando nos relacionamos com inteligência, utilizando as ferramentas que o Pai nos concedeu, abençoamos os discípulos e as pessoas ao nosso redor, de uma forma tão extraordinária que somos incapazes, muitas vezes, de dimensionar. É assim que acontece no discipulado. Afinal, o que é discipulado senão uma trajetória de relacionamento, de caminhar em unidade, líder ajudando discípulo e discípulo ajudando líder, ambos em cumplicidade?

No discipulado, nos primórdios do relacionamento entre discipulador e discípulo, é mister, literalmente, remover o discípulo da margem do inferno, das zonas de perigo. Sabemos que isso não ocorre sem relacionamento, sem levar a bênção de Deus ao outro.

Continua...

Visualizações: 3729

Plano de Leitura Bíblica

25 Dez
Jó 34
Zacarias 10
Apocalipse 10 e 11
26 Dez
Jó 35 e 36
Zacarias 11
Apocalipse 12 e 13
27 Dez
Jó 37
Zacarias 12
Apocalipse 14
28 Dez
Jó 38
Zacarias 13 e 14
Apocalipse 15 e 16
29 Dez
Jó 39
Malaquias 1
Apocalipse 17 e 18
30 Dez
Jó 40
Malaquias 2
Apocalipse 19 e 20
31 Dez
Jó 41 e 42
Malaquias 3 e 4
Apocalipse 21 e 22