“Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou.” (Romanos 8:37)

Vencer é o desejo de muitos e o desafio de todos. E, em Deus, temos a promessa de que somos mais que vencedores! Só que, para vencer, há um trajeto a ser percorrido e desafios a serem galgados, dentre eles, os limites da alma.

Recebemos uma chamada de Deus para mudar não apenas a história da nossa vida, mas também a história de todos aqueles que passarem por nós. Para cumprir essa chamada com o êxito que a Palavra oferece, precisamos nos permitir ser tratados nas áreas de debilidades. Os que não se submetem ao tratamento não vencem os limites da alma, vivem frustrados e acomodados com a vida que têm.

Quem busca vencer os limites da alma, luta por mudanças que acontecem não de fora para dentro, mas de dentro para fora. Mudam seus relacionamentos, suas atitudes, suas palavras, vencem desafios, trabalham arduamente e são honrados pelo Senhor.

3. PALAVRAS

Resolvi falar sobre as palavras por último e frisei bem sobre atitudes, porque falar é mais fácil do que agir. Promessas que são apenas falácias não nos levam a lugar nenhum.

Todavia, tais quais nossas atitudes, as palavras também nos condenam ou nos absolvem. Existem pessoas que, quando abrem a boca, denunciam a alma que têm: uma alma amargurada, cheia de rancor, contaminada. Ouvir essas pessoas nos faz tão mal... Mas, também, se não ouvirmos, como serão curadas e saradas pelo Messias?

Há ainda aqueles cujo prazer é falar mal de outros e serem portadores de notícias ruins. Com certeza e, infelizmente, você conhece alguém assim. Romanos 10:15 diz: “Quão formosos são os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas.” Pés não falam, mas são condutores da nossa alma que nos encaminha a falar do que é bom ou mau, a partir do que estamos cheios.

A Bíblia diz que a boca fala do que está cheio o coração, ou seja, a boca fala do que a alma está cheia. “O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem, e o homem mau, do mau tesouro do seu coração tira o mal, porque da abundância do seu coração fala a boca.” (Lucas 6:45)

Uma alma que não aprendeu a vencer os seus próprios limites vai expressar doenças. Uma alma que foi curada por Deus contará quão glorioso foi alcançar essa vitória.

Também não podemos nos esquecer do que está escrito na Palavra de Deus sobre os que se apressam em falar o que não é bom, divulgar notícias ruins. Estes são chamados malignos. “O ímpio atenta para o lábio iníquo, o mentiroso inclina os ouvidos à língua maligna.” (Provérbios 17:4). Isso porque ferem e contrariam os princípios, revelando quem são e o quanto ainda precisam de transformação.

As palavras destilam cura ou podem destilar morte; é o que aprendemos no livro de Tiago. A língua, um pequeno órgão do nosso corpo, pode salvar ou fazer um estrago sem tamanho. É de causar temor! “Assim também a língua é um pequeno membro, e gloria-se de grandes coisas. Vede quão grande bosque um pequeno fogo incendeia.” (Tiago 3:5)

Com a nossa boca, através das nossas palavras, podemos louvar a Deus e maldizer o próximo, ou seja, liberar palavras de bênção e de maldição. “De uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não convém que isto se faça assim. Porventura deita alguma fonte de um mesmo manancial água doce e água amargosa? Meus irmãos, pode também a figueira produzir azeitonas, ou a videira figos? Assim tampouco pode uma fonte dar água salgada e doce. Quem dentre vós é sábio e entendido? Mostre pelo seu bom trato as suas obras em mansidão de sabedoria.” (Tiago 3:10-12)

Precisamos aprender a controlar nossas palavras. Deixo ainda para você refletir o texto de Efésios 4:29-32, que diz: “Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem. E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da Redenção. Toda a amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmia e toda a malícia sejam tiradas dentre vós, antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.”

É tempo de vivermos o que aprendemos. A Igreja de Cristo tem sido usada na Terra como instrumento de cura. Não precisamos permanecer doentes. Se vencermos os limites da nossa alma, avançaremos de forma sobrenatural. E se avançarmos, o Reino de Deus crescerá mais e mais.

Deus nos escolheu para sermos agentes de mudanças!

Visualizações: 3670

Plano de Leitura Bíblica

25 Dez
Jó 34
Zacarias 10
Apocalipse 10 e 11
26 Dez
Jó 35 e 36
Zacarias 11
Apocalipse 12 e 13
27 Dez
Jó 37
Zacarias 12
Apocalipse 14
28 Dez
Jó 38
Zacarias 13 e 14
Apocalipse 15 e 16
29 Dez
Jó 39
Malaquias 1
Apocalipse 17 e 18
30 Dez
Jó 40
Malaquias 2
Apocalipse 19 e 20
31 Dez
Jó 41 e 42
Malaquias 3 e 4
Apocalipse 21 e 22