“Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou.” (Romanos 8:37)

Vencer é o desejo de muitos e o desafio de todos. E, em Deus, temos a promessa de que somos mais que vencedores! Só que, para vencer, há um trajeto a ser percorrido e desafios a serem galgados, dentre eles, os limites da alma.

Neste estudo, estamos nos reavaliando em muitas áreas, como nossas atitudes, modo de pensar, de agir, de falar. Recebemos uma chamada de Deus para mudar não apenas a história da nossa vida, mas também a história de todos aqueles que passarem por nós.

Para cumprir essa chamada, com o êxito que a Palavra oferece, precisamos nos permitir ser tratados nas áreas de debilidades. Os que não se submetem ao tratamento, não vencem os limites da alma, vivem frustrados e acomodados com a vida que têm.

Quem busca vencer os limites da alma, luta por mudanças que acontecem não de fora para dentro, mas de dentro para fora. Mudam seus relacionamentos, suas atitudes, suas palavras, vencem desafios, trabalham arduamente e são honrados pelo Senhor.

1. RELACIONAMENTOS

Relacionamentos falam da nossa humanidade. Não conseguimos viver sem nos relacionar. E quando não vencemos os limites da alma, ferimos quem amamos, afastamos quem quer se aproximar de nós.

Não é normal alguém ter comportamentos diferentes dependendo da pessoa com quem se relaciona e dos lugares onde está. Nosso comportamento deve ser exclusivamente o de que tem Jesus no coração e que age em conformidade com a Sua Palavra.

Só que a alma do homem, alma inteligente, muitas vezes, quer agradar apenas a ela mesma, não se importando nem com Deus nem com o próximo.

Uma pessoa que vence os limites da alma, além de adquirir saúde emocional para si, torna-se um instrumento de cura para muitos. Deus quer nos curar. Em I Pedro 2:11, está escrito: “Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais, que combatem contra a alma.” Nossa chamada não é para alimentar nem conservar doenças na alma, engordando a carne. Nossa chamada é para vencer e não para ser vencido.

Nossos relacionamentos devem ser protegidos pela Palavra de Deus. Essa é a única forma de sermos guardados e de mantermos nossa alma sob os cuidados do Pai, vencendo as áreas de fraquezas.

É o conhecimento da verdade que nos liberta. No caso da alma, podemos dizer que é o conhecimento da verdade que nos sara e nos torna pessoas cheias da vida de Deus.

A única forma de vencermos os limites da nossa alma para termos êxito nos relacionamentos é nos protegendo pelo conhecimento da Palavra e buscando guardar os princípios nela contidos. São os princípios que nos levam a alcançar a mente de Cristo e nos transformam a cada dia.

2. ATITUDES

Atitudes falam mais que palavras. Nossas atitudes diárias marcam a nossa vida e a vida das pessoas que se relacionam conosco. Nossas atitudes nos condenam ou nos absolvem. “Tendo o vosso viver honesto entre os gentios; para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, glorifiquem a Deus no dia da visitação, pelas boas obras que em vós observem.” (I Pedro 2:12)

Quando não temos inteligência emocional, não pensamos antes de agir, nossas atitudes são automáticas e podem nos prejudicar muito. Um exemplo disso são atitudes desleais que o povo de Deus tem, mesmo sabendo que não deveria ter.

Infelizmente, tem se tornado cada vez mais comum vermos pessoas que se dizem nascidas de novo, mas trapaceiam, disseminam confusão, levantam falso testemunho contra os irmãos, julgam e condenam uns aos outros. Tais atitudes não deveriam sequer ser nomeadas no meio do povo de Deus.

Você pode estar lendo e concordando, porque sabe que essa é uma triste e dura realidade. E por que isso acontece? Porque toda pessoa que não vigia nas suas atitudes deixa que o velho homem, com suas manias carnais, ressuscite. É como se estivessem resistindo aos ensinamentos da Palavra de Deus e deixando o mal reinar em suas vidas.

Fico imaginando o que aconteceria se Deus expusesse o nosso pecado, se Ele levantasse a saia da Igreja. Sei que, se não mudarmos nossas atitudes, chegará um tempo em que será necessário que isso aconteça. Alguns só mudam após uma grande vergonha; uma grande exposição da parte de Deus pode gerar confronto, conforto e cura. Assim eu creio!

Deus não tem prazer em que Seus filhos vivam cheios de argumentos, administrando pecados que geram atitudes de filhos que não conseguem vencer os limites da alma. A alegria de Deus é nos ver tratados, curados, livres na Sua presença e sem ter do que o inimigo nos acusar. “Em tudo te dá por exemplo de boas obras; na doutrina mostra incorrupção, gravidade, sinceridade, linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós.” (Tito 2:7,8)

Temos visto escândalos surgindo, um a um. E muitos, no lugar de se renderem logo e mudarem, ficam se escondendo atrás de desculpas que não enganam a ninguém, nem a eles mesmos.

Nossas atitudes devem marcar a nossa vida e a vida das pessoas que confiam em nós, de forma positiva. Fazer o que é certo, e da maneira correta, alegra o coração do Pai. É verdade que em um mundo no qual as propostas indecentes aumentam a cada dia, não é fácil permanecer na rota que Deus tem para nós. Contudo, jamais podemos nos esquecer de que o caminho é difícil e estreito, encontramos pedras e gigantes, mas o sabor de agir corretamente é incomparável. “Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; e porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem.” (Mateus 7:13,14)

Continua...

Visualizações: 3538

Plano de Leitura Bíblica

25 Dez
Jó 34
Zacarias 10
Apocalipse 10 e 11
26 Dez
Jó 35 e 36
Zacarias 11
Apocalipse 12 e 13
27 Dez
Jó 37
Zacarias 12
Apocalipse 14
28 Dez
Jó 38
Zacarias 13 e 14
Apocalipse 15 e 16
29 Dez
Jó 39
Malaquias 1
Apocalipse 17 e 18
30 Dez
Jó 40
Malaquias 2
Apocalipse 19 e 20
31 Dez
Jó 41 e 42
Malaquias 3 e 4
Apocalipse 21 e 22