Um dos maiores benefícios quando aceitamos Jesus como o Senhor da nossa vida é que passamos a viver com novas expectativas diárias. E quando temos novas expectativas diárias, passamos a meditar mais e mais na Palavra. Assim construímos uma mente favorável para Deus e construímos uma família para Deus também.

Ter uma família construída para Deus é um presente que só nós mesmos podemos nos dar. Não depende de mais ninguém. E essa bênção se estende aos nossos descendentes, pois passamos a prepará-los para algo muito maior.

Nossa geração tem uma promessa: ocupar os lugares altos. Mas enfermos, doentes na alma, não conseguem ocupar os lugares altos porque vivem olhando para baixo e só veem o que é raso. É nossa obrigação educar nossos filhos, instruindo-os na Palavra de Deus, que é o ponto fundamental para que cresçam e se tornem homens e mulheres dignos do respeito e honra social.

HERANÇA DO SENHOR

Os filhos são herança do Senhor. “Eis que os filhos são herança do Senhor, e o fruto do ventre o seu galardão.” (Salmos 127:3). Nossos filhos não são gerados para a perdição nem para desfrutar do mundanismo.

Não geramos filhos para que se percam ou vivam fora dos padrões da Palavra, como filhos de Belial. Geramos filhos para que sejam baluartes de avivamento, homens e mulheres santos e que façam diferença nesta geração.

Creio que pais e mães dotados de inteligência emocional têm muito êxito na criação dos filhos e conseguem que eles sejam comprometidos com Deus, mesmo tendo que conviver em uma sociedade desajustada. Os pais são responsáveis por fazer com que os filhos perpetuem seu legado na Terra, e isso não com peso, com carga, mas com a responsabilidade da honra, de quem é cheio da vida de Deus e que pode fazer diferença nesta geração.

A sociedade vive debaixo de uma insegurança total e de muitos surtos. As mentes de hoje estão tomadas de tecnologia, comprometidas por comportamentos até mesmo psicóticos, não são favoráveis para a construção dos pensamentos divinos. E nossos filhos estão envolvidos em todas essas neuroses do século.

Mas nós, que nascemos de novo, que temos uma mente favorável às construções divinas, e que estamos construindo uma família para Deus, podemos ensinar aos nossos filhos e descendentes como é possível responder com dignidade a uma sociedade extremamente perturbada e confusa por padrões contrários à Palavra.

FILHOS INEGOCIÁVEIS

A única forma de que nossos filhos sejam inegociáveis em relação ao mundo, no que diz respeito a viverem os princípios de Deus, é ensinando-os que, em Cristo, eles são mais que vencedores e, por isso, jamais devem ceder ao mundanismo.

Nossos filhos precisam ter a consciência de que eles são a resposta de Deus para esta geração. E estar convictos de que na luta contra o espírito deste século, vencerão as seduções e os convites. O próprio Deus dará a eles as estratégias corretas.

Por causa da modernidade, muitos pais têm se perdido no papel de educadores dos filhos. De diversas maneiras, eles têm deixado de lado uma das principais instruções bíblicas sobre a criação dos filhos. “Ensina a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele.” (Provérbios 22:6)

O ensinar envolve tudo, inclusive alertar nossos filhos sobre a seleção de relacionamentos porque muitas vezes, na inocência, andam com pessoas que podem levá-los à perdição, e isso em muitas áreas.

A Bíblia nos adverte: “Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes.” (I Coríntios 15:33). E mostra-nos a parábola do filho pródigo, que, ao deixar a casa do pai com a sua parte da herança, teve apenas más companhias que o levaram à falência, a ponto dele ter que sobreviver da comida dos porcos (Lucas 15:11-23). Isso significa que uma má companhia ou uma conversa inapropriada pode provocar desestrutura na alma e plantar confusão na mente dos nossos filhos, de forma a fazer com que não respondam condignamente às doutrinas que aprenderam na Casa de Deus e na família.

RESPEITANDO OS PENSAMENTOS, AVALIANDO O RESULTADO

Nosso país é democrata. Todos têm liberdade de expressão. Por causa da democracia, muitos pensam que podem viver como bem lhes aprouver. Isso é uma verdade, ou uma meia verdade (será que existe meia verdade?!). Dentro da democracia, precisamos respeitar os pensamentos de todos, aprendendo a não aceitar aqueles que ferem nossos princípios cristãos, e ensinar nossos filhos a avaliarem o resultado. Em outras palavras, voltamos para o ponto principal da educação. A solução está na educação que nossos filhos recebem em casa.

Hoje, não podemos esperar das escolas nada além do aprendizado secular. É dentro de casa que pais e filhos devem conversar abertamente sobre o que está acontecendo dentro e fora.

Respeitar os pensamentos é nosso dever, sim, mas se, na avaliação do resultado, esses pensamentos não são satisfatórios, temos que mostrar aos nossos filhos e descendentes, que eles podem, independente da faixa etária, ter liberdade de expressão, mas, jamais ferir a conduta de filho de Deus que precisam ter.

Em tudo que observam dentro e fora de casa, os filhos que pensam, avaliam, refletem, devem saber quem de fato fala a verdade, onde está a mentira e o que devem fazer para jamais perder a credibilidade da Palavra de Deus ensinada pelos pais.

A consciência de que a Bíblia é mais que um Livro de Histórias bem ordenadas deve estar enraizada no mais profundo de suas almas, para que saibam lidar com as atitudes de hipocrisia nociva da sociedade.

Continua...

Visualizações: 2176

Plano de Leitura Bíblica

23 Out
2 Crônicas 18 e 19
Daniel 1
João 19
24 Out
2 Crônicas 20
Daniel 2
João 20 e 21
25 Out
2 Crônicas 21 e 22
Daniel 3
Atos 1
26 Out
2 Crônicas 23
Daniel 4
Atos 2
27 Out
2 Crônicas 24
Daniel 5
Atos 3 e 4
28 Out
2 Crônicas 25
Daniel 6
Atos 5 e 6
29 Out
2 Crônicas 26 e 27
Daniel 7
Atos 7