Nos segredos de Jerusalém, não sairemos daqui as mesmas pessoas, mas cheios das novidades de Deus. O Senhor nos mostrará o que está por detrás das pedras. Ele tem nos assistido, socorrido e colocado Seu braço forte sobre nós. Sua fidelidade continua ultrapassando as nuvens.

Estarmos em Tabernáculos é motivo de muita celebração. Quem vem a Tabernáculos ganha uma chave de prosperidade para 12 meses. Não vir a Tabernáculos é ficar fora da promessa. Estar em Jerusalém é um favorecimento para nossa vida e não para Deus. Ninguém passa despercebido na Terra Santa.

Não perca a promessa de Jerusalém

“Que a minha mão direita definhe, ó Jerusalém, se eu me esquecer de ti! Que a língua se me grude ao céu da boca, se eu não me lembrar de ti, e não considerar Jerusalém a minha maior alegria!” (Salmos 137:5,6)

Jerusalém está no coração do Senhor e na essência do Todo-Poderoso, logo, não podemos nos esquecer dela nem perder a promessa que há para a Cidade do Grande Deus.

Quando olhamos para Deus, vemos que Ele é indesistível com o Seu povo, assim como nos mostra a história de Oséias e Gômer. Temos que ser indesistíveis, pois somos Seus filhos.

Construir muro é fácil, difícil é manter o propósito vivo. E Jerusalém tem os seus segredos. Não vir a Jerusalém por medo é o mesmo que ter espírito antissemita.

Um dia, eu estava em um casamento e um grupo de judeus me perguntou como fazia para vir a Jerusalém. Eu respondi a eles que Yeshua é quem nos leva a todos os caminhos para chegarmos a Sião e, assim, entendermos os princípios da Cidade do Grande Rei.

Há um tempo em que precisamos entender que Jerusalém será invadida pelos gentios. E a maior prova disso é que estamos aqui. E o melhor, Deus está nos usando, por misericórdia, para estarmos em Sião convocando outros. E que alegria poder dizer que os olhos de Jerusalém estão sobre nós. Nós, gentios, estamos pisando nesta Terra porque as promessas do Senhor estão se cumprindo e porque não perdemos a promessa.

A visão de Jerusalém é família

Para nós, diferente do que consideram outras nações, Jerusalém não é importante apenas por causa do Templo que Davi deu a Salomão o privilégio de construir, apesar de reconhecermos que o Templo foi para doutrina. Para nós, Jerusalém é importante também porque a multiplicação pelas casas, através do ensino da Torá nas famílias, fala da visão que arde nos nossos corações.

A visão de Jerusalém é família. Filhos, em Jerusalém, são criados pelos pais, nas famílias. Precisamos aprender com Jerusalém a sermos pais e mães de verdade. Não podemos perder o foco de família.

Para que vivêssemos essa visão de família, um dia, em Jerusalém, Jesus morreu e ressuscitou, tornando a cidade o cenário do maior espetáculo. E, como herdeiros, morremos com Cristo e também com Ele ressuscitamos.

Vir a Jerusalém é encontrar-se com o seu destino. Declaro que Deus fará coisas extraordinárias na sua vida. E, debaixo do manto de ressurreição, os propósitos do Senhor serão ressuscitados na sua vida. 

Visualizações: 922