Individualidade

18 Março 2012
Imprimir

“Porque assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma operação, assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros. De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino; ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria.” (Romanos 12:4-8)

Aprendemos, nos estudos anteriores, que precisamos ter o caráter de Cristo. Se tivermos o caráter de Cristo, saberemos exercer o Princípio da Mordomia, sendo mordomos, administradores de excelência das coisas que Deus nos deu, pois Jesus era assim. Teremos também em nós a capacidade de Autogoverno, o Fruto do Espírito chamado domínio próprio. Então, saberemos Semear e Colher o melhor que Deus tem para nós, e olharemos os outros com o mesmo amor que Jesus tem pelas pessoas, vivendo o Princípio da União.

Sabendo colocar em prática todos esses ensinamentos, será fácil para nós praticarmos o sexto Princípio, a Individualidade.

O que é Individualidade?

Em Gênesis 2:20, a Bíblia diz que Adão deu nome a todos os animais que havia na Terra. Isso implica na individualidade de toda a Criação, mesmo com uma imensa variedade de espécies.

Individualidade é a identidade de cada um. Deus criou todas as coisas com identidades distintas. Cada um é um.

Identidade fala das características que são específicas de uma pessoa, de um ser ou de alguma coisa.

Como podemos entender isso?

O texto de Romanos 12:4-8 diz que em um corpo existem vários membros, e cada um deles tem uma função específica. Assim somos nós como Corpo de Cristo. Cada um tem o seu lugar, a sua função e o seu valor.

Deus, quando criou o homem, deu-lhe características particulares que só Ele tem. Diferente de todas as outras criaturas, o homem pensa, decide, sonha. Todos nós, seres humanos, temos similaridades:

. Uma estrutura física semelhante. Cabeça, tronco, membros, coração, fígado, etc;

. Ações iguais. Andamos, falamos, dormimos, comemos.

Mesmo tendo estrutura física semelhante e ações iguais, somos totalmente diferentes uns dos outros. Possuímos personalidades diferentes, pensamos, reagimos de modo diferente uns dos outros. Isso é Individualidade.

Embora parecidos, somos únicos nesta Terra. Deus fez de cada homem um universo único. Não existe ninguém igual a você. Diante de Deus, você e eu somos pessoas distintas, alguém especial, e Ele olha especificamente para mim e para você. Isso não é maravilhoso?

Deus, em Seu sublime Trono, no meio de uma multidão, olha a cada um de nós como alguém único, especial.

Assim, precisamos aprender que:

. As pessoas são diferentes umas das outras;

. As pessoas têm histórias diferentes;

. Algumas são mais rápidas, outras são mais lentas;

. Umas aprendem mais rápido, outras precisam de um pouco mais de tempo;

. Umas falam mais, são mais sociáveis, outras são mais caladas e retraídas, tímidas.

. Pessoas possuem culturas diferentes.

Diante de todos os pontos citados, precisamos respeitar a todos, compreendendo as dificuldades e os limites de cada um. E não só respeitar os outros, mas respeitar a si mesmo, reconhecendo a sua Individualidade, se autoaceitando e aceitando os outros como são.

Não esqueça que, como pessoas únicas, somos responsáveis, diante de Deus, por todos os nossos atos e palavras. No meio de uma grande multidão, Deus conhece a cada um de nós, conhece o nosso coração e sabe cada um dos nossos pensamentos.

Individualmente, iremos nos apresentar diante do Pai. Apresente a Ele uma vida de amor, respeito, carinho, serviço, alegria, paz; um coração puro e santo. Alegre o coração do Pai, amém?