Casamento: Uma aliança de excelência

07 Outubro 2012
Imprimir

“Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Pois se caírem, um levantará o seu companheiro; mas ai do que estiver só, pois, caindo, não haverá outro que o levante. Também, se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só como se aquentará? E, se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa.” (Eclesiastes 4:9-12)

 

Deus é um Deus de aliança, e Ele mostra que todas as dificuldades e todas as crises e circunstâncias adversas na aliança serão vencidas através de Sua presença, a presença do Deus Todo Poderoso.

O casamento foi criado por Deus, é uma aliança elaborada por Ele que aponta para a vinda do Senhor Jesus, com o noivo representando o Senhor e a noiva representando a Igreja, e sempre há a figura do Pai aconselhando os noivos para dizerem que chegará o dia das Bodas do Cordeiro.

Sabemos que Deus está presente na aliança do casamento. O texto de Eclesiastes 4:9-12 dá uma lista de exemplos de que os dois vencerão juntos e que o cordão de três dobras não se quebra facilmente. Há uma unção de graça e excelência no casamento para sustentar o casal nas situações mais adversas e para poder provar que, quando o Espírito Santo está presente na vida do casal, o cordão não se rompe.

Precisamos, dentro dessa realidade, ter uma linguagem irrepreensível e um comportamento de santidade na família, para que a nobreza e a excelência sejam impetradas na aliança do casamento.

 

Cuidados com a aliança

O casamento é uma aliança que, além de ter força, tem poder sobrenatural, porque está debaixo de um decreto sagrado irrevogável, por isso requer alguns cuidados.

 

1. O respeito mútuo

Às vezes, dentro do comportamento, as pessoas podem usar incompatibilidade de gênios e, daí, dissolver a aliança. Porém, uma aliança, quando impetrada nos corações do noivo e da noiva, deve-se levar a responsabilidade do respeito mútuo entre o casal, e caminharem juntos, solidificados nessa aliança, para que o cordão de três dobras não se rompa.

 

2. A consideração diária

 

Essa consideração é o resgate do romance no casamento. Ninguém, nem filhos, nem sogros, nem discipuladores, devem roubar o romance do casal, interferindo de forma errônea, com ingerências que não estejam debaixo de um conselho sagrado. Se um casal se mantiver debaixo da consideração diária, haverá o resgate da sensibilidade, da amabilidade, estarão se respeitando, considerando-se, resgatando o carinho a cada dia e o melhor é que, com o passar dos dias, não enfraquecerão a afetividade.

 

3. O amor incondicional

Não se ama parcialmente. Numa cerimônia de casamento, os noivos comparecem diante de três testemunhas fortíssimas: a social, a familiar e a sacerdotal, referendada pela Igreja. Essas três testemunhas estão presentes para ver que o casal fez uma aliança de amor incondicional, de suportarem um ao outro até o dia de Cristo Jesus. A Bíblia diz que o amor incondicional tudo suporta, tudo crê e tudo espera.

 

4. Disposição

Para uma aliança ser ajustada e considerada de excelência, é preciso muita disposição. A disposição de o marido estar todo o tempo trabalhando para fazer a esposa feliz e vice-versa. Afinal, quando casamos, não devemos ter o pensamento egoísta de casar para ser feliz. Casamos para fazer o cônjuge feliz. E, se eu cumpro o meu papel, é lógico que serei feliz, porque a outra pessoa cumprirá também o seu papel e estaremos caminhando debaixo da mesma bênção, do respeito mútuo.

 

Cuidados com os tempos "passado", "presente" e "futuro"

As ameaças do dia a dia podem enfraquecer os relacionamentos, porque essas ameaças trazem coisas perigosas para os noivos se estes não tiverem maturidade para administrar as situações e isso pode macular a aliança.

 

1. Passado

No casamento, os noivos são de culturas, ambientes e costumes diferentes e, agora, formarão uma nova cultura. Então, não podem ficar na referência do passado, senão correrão o risco de trazer máculas para o casamento. Devem ter o passado marcado com a graça do Senhor, que é melhor que a vida para adentrarem o altar apagando o passado, ratificando o presente, crendo que serão felizes, prósperos, um casal padrão com a expectativa de que conquistarão novos territórios e serão referencial para a Igreja.

 

2. Presente

O presente deve ser encarado com a dinâmica e a força. Os noivos devem ser trabalhadores e, assim, acumularão tesouros, serão prósperos tanto para si quanto para o Reino e para a família. Tudo o que fizerem deve ser feito com excelência e muita responsabilidade para viverem com riquezas em sua casa, honra dupla entre os seus e longevidade de dias para darem testemunho da graça do Todo Poderoso em suas vidas.

 

3. Futuro

O futuro deve ser vislumbrado com projetos que sejam resultado de declarações de bênçãos, de vitórias. Esses projetos devem ser cumprimentos de profecias abençoadas, que nunca foram anuladas com afirmações contrárias. Como indivíduos interagidos com uma sociedade enferma, o nosso problema é que a nossa confissão errada do dia a dia anula as declarações de bênçãos. Todas as palavras ditas no cotidiano devem sempre ratificar uma sentença de vitória.

 

Cuidados com os procedimentos para a excelência

Deus não criou nenhum de nós para a escassez, a ruína, a pobreza e a miséria. Hoje, estamos resgatando a nossa história e a nossa sorte. Deus nos criou para a excelência, para tomarmos posse de tudo o que Ele mesmo, o Senhor, prometeu nos dar. E, para alcançarmos essa excelência, precisamos ter:

 

1. Linguagem irrepreensível

Precisamos ter uma linguagem irrepreensível, ratificando e sustentando a confissão da esperança. “...retenhamos inabalável a confissão da nossa esperança, porque fiel é aquele que fez a promessa...” (Hebreus 10:23)

 

2. Comportamento santo

Ter um comportamento santo não é fácil, assim como não é fácil manter uma relação santa. Porém, a Bíblia diz: “Honrado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; pois aos devassos e adúlteros, Deus os julgará.” (Hebreus 13:4). A Bíblia mostra em Isaías 6 que, para sermos santos na família, entramos em um nível de guerra espiritual familiar, enfrentamos um nível de guerra hereditária em que o inimigo não deve prevalecer.

Nós fomos chamados para fazer diferença, para ter uma linguagem irrepreensível e um comportamento de santidade em cada família, para que a nobreza e a excelência sejam impetradas na aliança do casamento. Manter essa linguagem e esse comportamento não é uma opção, é uma exigência da doutrina bíblica.

Continua...