Servos de Deus, servos uns dos outros

15 Julho 2012
Imprimir

“E, libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça. [...] Mas agora, libertados do pecado, e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna.” (Romanos 6:18,22)

Somos servos de Deus, servos uns dos outros; esse é o nosso chamado. Dentre tantos exemplos de servos de Deus na Bíblia, fica claro que só podemos servir a Deus, servindo aos homens, não há como ser diferente.

Para que SERVIR

O objetivo de ser servo é para servir a Deus, ao Reino, às pessoas. Nosso serviço tem um retorno de satisfação tamanha: ganhar o maior número possível de vidas para o Rei. Essa é a nossa função e deve ser a nossa visão como nascidos de novo. Se fomos alcançados é porque alguém decidiu servir e pagar um preço por nós.

Quando você se torna servo não está anulando-se, como alguns pensam, pelo contrário, está cumprindo uma ordenança de Yeshua. A capacidade de se dar para servir é uma semente, e, para cada semente que você planta em servir, virá uma colheita. É assim no Reino.

Você pode estar pensando que todos que entram para servir servem, mas nem sempre isso acontece. Há pessoas que entram para servir e não fazem nada, não cumprem sua função. Nosso serviço pode ser uma ministração. Às vezes, você não prega em um púlpito, mas seu serviço ministra mais que palavras.

A sua disposição para servir pode gerar conforto para muitos que necessitam de você. O servo se torna o ministrador do refrigério para a alma dos oprimidos. É como Davi que tocava a harpa apesar de saber que o nome da aflição de Saul podia ser traduzido por demônios. Mas como estava prestando um serviço ao rei, entendia que tinha a obrigação de aliviar o tormento do seu senhor, então tocava a harpa e promovia conforto e refrigério para Saul.

Hebreus 3:5 mostra qual é a função do servo: ministrar conforto, servir com libertação e cura. Que função maravilhosa ter o privilégio de saber que as pessoas que passarão por nós, se formos servos, serão libertas e curadas. Se há um endemoninhado, a obrigação do servo é promover libertação. De igual modo, se há alguém doente, ele entra para curar. Essa foi a função do maior Servo que passou na Terra.

O servo, além de libertar e curar, também deve permitir-se ser liberto e curado pelas pessoas que passarem por sua vida. A vocação tem que ser precedida pela função do servir. Quem entra no Reino para ser servido está equivocado, porque a vocação deve ser uma prestação de serviço voluntário, independente da função.

Ser um servo que serve é uma decisão. Um servo se faz um servo. Você se torna servo quando decide ser aquilo que Deus quer que você seja. Ser servo é uma decisão! Não é fácil se tornar escravo e criar grades para a sua própria vida.

O servo investe o dom

O servo investe o dom. O servo investe o talento, a energia, a essência, a própria vida por uma causa. Não vale a pena investir a vida naquilo que não temos retorno. Porém, naquilo que sabemos que estamos plantando uma semente, é maravilhoso servir. É solene servir algumas pessoas.

Em Romanos 6:17,18, a Bíblia diz que uma vez que fomos libertos do nosso pecado, transformamo-nos em servos da justiça. Não servimos qualquer coisa, servimos a justiça. “Mas graças a Deus que, tendo sido servos do pecado, obedecestes de coração à forma de doutrina a que fostes entregues. E, libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça.”

Ser servo da justiça significa não aceitar situações imorais, de impunidades, fora da ética, de agravamento social só porque você é servo. Não! Você é servo da justiça. Não pode compactuar com atitudes que desagradam a Deus. Você deve servir a tudo o que é justo.

Paulo disse que servia o líder para ganhar vidas, essa era a sua meta em ser servo e escravo, como se autodenominou. Sabemos que, no Evangelho, ninguém ganhou mais vidas do que ele nem foi mais servo do que ele no quesito discípulo, líder, Apóstolo. Então, quanto mais servo você for, mais vidas ganhará.

Romanos 6:22 diz: “Mas agora, libertados do pecado, e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna.” O que podemos assimilar é que só se tornará verdadeiramente servo quem foi transformado dos seus pecados. Só se tornará verdadeiramente servo quem foi liberto das feridas, das mágoas e dos argumentos.

Paulo diz que fomos transformados em servos. O servo tem direito à frutificação, à santificação e, ainda, à vida eterna. O ato de servir dá direito a ser liberto do pecado, frutificar, andar em santidade e ter a vida eterna.

Ser servo é produzir

Se você entende que seu chamado é de servo de Deus, você produz muito. Porque ser servo é sinônimo de trabalho. Se você quer ser senhor e alcançar lugares altos, torne-se primeiro um servo. A Bíblia diz que quem se torna servo ganha, da parte de Deus, o título de amigo.

O servo é aquele que produz até chegar à meta. Há pessoas que têm metas e sonhos no discurso, mas nunca conseguem exprimi-los na prática. Quantos ouvimos afirmar que serão líderes de uma grande multidão, mas não fazem nada para que a profecia se cumpra. Temos que aprender a galgar os sonhos, as metas, os alvos...

A função de se tornar servo é cumprir os desígnios dAquele que nos chamou. Você precisa entender qual é a sua função no servir e saber que você serve, porque Deus já o libertou dos seus pecados, como vimos anteriormente, e lhe deu a vida eterna. Sua função, como servo, é trabalhar para trazer o Reino de Deus sobre as vidas e para marcar uma geração.

É o serviço, a entrega, o cumprir da missão com responsabilidade. Isso é caráter eterno do servo de Deus. Jesus foi chamado como Varão aprovado, Servo aprovado. Ele nos ensinou muito bem a forma correta de servir, pois mesmo sendo Deus, serviu-nos como Homem.

Então, precisamos ser servos aprovados independente da posição em que estamos servindo. O que importa é que você seja aprovado no que faz. Você foi chamado para coisas muito grandes. Quando está servindo ao líder, você está servindo ao homem de Deus, ou seja, está servindo ao próprio Deus, na figura do homem de Deus.

A Bíblia diz que até quando entregamos a homens mortais o dízimo, aqui na Terra, quem recebe é o Trono. “Ora, sem contradição alguma, o menor é abençoado pelo maior. E aqui certamente tomam dízimos homens que morrem; ali, porém, aquele de quem se testifica que vive.” (Hebreus 7:7,8). Nós entregamos o dízimo na Terra e é recebido no Trono. Assim como é para o dízimo que, quando entregamos, Jesus recebe no Trono, de igual modo, todo o trabalho que estamos prestando ao líder está sendo recebido no Trono.

Deus não quer que sejamos mirrados em nada que fazemos. Daqui a alguns anos, quando estivermos mais amadurecidos, muitos virão em nossa direção para agradecer o que Deus fez na vida deles através do nosso serviço. “Nós, porém, não somos daqueles que se retiram para a perdição, mas daqueles que creem para a conservação da alma.” (Hebreus 10:39). Você terá descendentes por lugares que nem imagina.

Você foi transformado por Deus para servi-lO e servir outros. Somos servos uns dos outros, esse é o nosso chamado.