A oração abre as portas dos céus

01 Abril 2012
Imprimir

Para que o reino espiritual seja aberto em nossas vidas, o caminho a ser percorrido é através da oração, pois ela nos leva ao mundo espiritual, e Deus nos mostra as diretrizes para que sejamos vencedores frente ao complô satânico que luta ferozmente para nos parar e nos frear. Por isso, devemos treinar o nosso espírito de maneira que ele permaneça ligado ao Trono de Deus 24 horas por dia.

No episódio da ressurreição de Lázaro, Jesus orou em voz alta para que todos entendessem que tudo é movido por oração, e que todas as coisas acontecem sob o Seu comando. Mas, Ele tinha uma vida regada a oração e jejum. Tudo só começa a acontecer, de fato, a partir do momento em que a oração passa a ser um estilo de vida. É o ato profético que concretiza as bênçãos do céu para nós.

A oração não ameniza um problema, ela o resolve, porque é um diálogo com Aquele que tudo pode. Não existe um filho que chegue diante do Pai, e, pedindo de acordo com Sua palavra, fique sem uma resposta que encha o seu coração de alegria (ainda que não seja o que está esperando).

A oração move o braço de Deus

Deus gosta de responder oração e, digo com convicção, tudo o que tenho e sou é por efeito da oração, e tudo na nossa história de vida é resultado dela. As pessoas que vemos hoje na Igreja são fruto de muitas orações, ou seja, alguém pagou um preço de oração por elas. Isso porque toda a oração tem resposta, se não a limitarmos ou colocarmos bloqueios, já que qualquer oração feita com fé será prontamente respondida.

O sucesso de um líder está na oração, que é a chave que move o braço dAquele que rege o Universo, Jesus. Através da oração, o Senhor abre portas e caminhos ao Seu povo. Deus diz: “...eis que porei um caminho no deserto, e rios no ermo.” (Isaías 43:19). O ermo é um lugar desértico, onde não há um caminho específico para se seguir. É aí que Ele abrirá o caminho para que possamos encontrar a rota certa.

Ao sair do Egito, o povo de Deus não tinha para onde correr: de um lado estava o deserto; atrás, havia o exército de Faraó; do outro lado, as montanhas; na frente, o mar. E o que fez Deus? Abriu um caminho no meio do mar. O inimigo quis se aproveitar do caminho do povo de Deus, mas foi tragado.

Mortificando a carne pela oração

Qual a oração que tem efeito? Digo que é aquela pela qual se chega adequadamente diante do Senhor. A pessoa deve ter o coração quebrantado, sincero e disposto, além da essência da fé. É aí que verificamos o quanto precisamos aprender a “morrer” diariamente para a nossa carne, nossas vontades. Quanto mais morremos na carne, nas nossas vontades, Deus começa a operar. Quanto mais perto de Deus você estiver, mais humilde ficará, porque verá o quanto Ele é Santo, e você, pecador e necessitado dEle.

A oração que toca o coração de Deus é aquela na qual o homem deixa-se morrer. Aquele que ama a Deus não vive na prática do pecado e, sim, para Deus em santidade. A carne deve estar subjugada ao Espírito, pois, para o cristão, o Espírito é Senhor e a carne é serva. Você não deve ser o que deseja sua carne, e, sim, o que o Espírito quer, pois este manda na carne. É assim que se vence a carne: através do Espírito que nos vivifica. “Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis” (Romanos 8:13)

Deus ouve o coração quebrantado

Algumas pessoas oram por um propósito e, caso Deus lhes dê outra direção, não aceitam. Não sabemos se a resposta que Deus nos dará é a que queremos ouvir, mas devemos estar dispostos a obedecer.

Devemos ter a certeza de que toda e qualquer situação poderá ser revertida pela oração. A oração do justo é poderosa nos seus resultados. Se você é justo e ora, o resultado será poderoso. “Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.” (Tiago 5:16)

Uma pessoa pode receber a resposta que deseja lutando por ela na força do próprio braço e, ao consegui-la, descobrir que não era o melhor. Todavia, se sua causa for apresentada diante do tribunal de Deus, deixe Ele decidir o que é melhor para a sua vida, ainda que você não entenda tal decisão. Saiba que Deus não é surdo. Ele ouve suas orações, e, no momento certo, as responderá. “Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, E os seus ouvidos atentos às suas orações” (I Pedro 3:12a). Lembre-se do que Jesus disse: “Pai, tu sempre me ouves.” (João 11:42).

Ninguém nunca se encherá totalmente de oração, mas ela enche taças e taças diante de Deus. “E, havendo tomado o livro, os quatro animais e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos.” (Apocalipse 5:8). Na hora que você precisar, Ele mesmo derramará as respostas das taças de intercessões que você colocou diante do Seu trono, e, então, você será poderosamente abençoado. A oração é algo que nos traz segurança, pois Deus tem prazer em respondê-la. Quanto mais ligado ao Trono, mais resposta você terá (Daniel 1:4).

A oração, além de abrir caminhos no sobrenatural, nos ensina a ser verdadeiros, sinceros. Certo dia, Davi encontrou-se numa situação em que seu conceito com Deus estava em baixa e, para o homem que foi considerado segundo o coração de Deus, faltou até destreza para orar. Ele ficou sem ação para buscar ao Senhor. Davi aprendeu a rota da adoração após perder muitos privilégios com Deus e só conseguiu obtê-los de volta, creditados em sua oração, quando se humilhou.

Deus ouve o coração quebrantado. Você pode fazer a oração que quiser, contudo, se não tiver quebrantamento, não terá resposta! O homem que desejar atrair a glória de Deus para si necessita de um coração quebrantado. Veja como Davi se expressa no Salmo 86:

“Inclina, Senhor, os teus ouvidos, e ouve-me, porque sou pobre e necessitado. Preserva a minha vida, pois sou piedoso; ó Deus meu, salva o teu servo, que em ti confia. Compadece-te de mim, ó Senhor, pois a ti clamo o dia todo. Alegra a alma do teu servo, pois a ti, Senhor, elevo a minha alma. Porque tu, Senhor, és bom, e pronto a perdoar, e abundante em benignidade para com todos os que te invocam. Dá ouvidos, Senhor, à minha oração, e atende à voz das minhas súplicas. No dia da minha angústia clamo a ti, porque tu me respondes. Entre os deuses nenhum há semelhante a ti, Senhor, nem há obras como as tuas. Todas as nações que fizeste virão e se prostrarão diante de ti, Senhor, e glorificarão o teu nome. Ensina-me, Senhor, o teu caminho, e andarei na tua verdade; dispõe o meu coração para temer o teu nome. Louvar-te-ei, Senhor Deus meu, de todo o meu coração, e glorificarei o teu nome para sempre. Pois grande é a tua benignidade para comigo, e livraste a minha alma das profundezas do Seol. Pois grande é a tua benignidade para comigo, e livraste a minha alma das profundezas do Seol. Ó Deus, os soberbos têm-se levantado contra mim, e um bando de homens violentos procura tirar-me a vida; eles não te puseram diante dos seus olhos. Mas tu, Senhor, és um Deus compassivo e benigno, longânimo, e abundante em graça e em fidelidade. Volta-te para mim, e compadece-te de mim; dá a tua força ao teu servo, e a salva o filho da tua serva. Mostra-me um sinal do teu favor, para que o vejam aqueles que me odeiam, e sejam envergonhados, por me haveres tu, Senhor, ajuntado e confortado”.

A oração é um caminho construído à base de intimidade com Deus. É como se fosse um casamento onde o diálogo é uma poderosa ferramenta para a sua sobrevivência. Com Deus, deve existir um diálogo de sinceridade, humildade e quebrantamento.

Que você se disponha a construir um caminho de intimidade com o Pai, crendo que, através da sua oração, portas de bênçãos se abrem para todas as áreas da sua vida.